As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Bate-papo com o Loyola - por Ivana Maria França de Negri

Ivana Maria e Loyola
2009


Era uma tarde de sábado bastante quente. Fui ao teatro do Sesc meio hesitante, sem grandes expectativas, assistir à palestra do escritor Ignácio de Loyola Brandão, pois como integrante do Golp (Grupo Oficina Literária de Piracicaba), entidade que ele ajudou a criar, tinha uma certa obrigação de comparecer. Por conhecê-lo apenas pelas imagens passadas através da mídia, tinha comigo que era um tanto petulante, arrogante até, do alto de sua fama. Mas quando tive acesso à sua pessoa mais de perto, essa imagem se dissipou imediatamente. Solícito ao posar para fotos e ouvir placidamente o estonteante falatório feminino, mostrou ter também um bom humor que eu pensava não encontrar nele, arrancando risos e lágrimas da platéia. Bastante informal, dando a entender que nada foi previamente preparado, a “conversa” fluía e pululava de um assunto para outro, conforme surgiam as situações. Ora o tilintar de um celular o fazia reportar-se a algum episódio. Ora alguém palpitando alguma coisa e ele já acrescentava uma situação semelhante vivida. As palavras iam brotando e a plateia devorando cada uma delas em silente cumplicidade. Em poucos minutos, contou-nos muito de sua vida, falou do seu primeiro amor – nada menos do que a doce Branca de Neve! Relembrou as primeiras professoras e os cavalinhos do carrossel que o avô carpinteiro construiu, mas os corcéis encantados foram destruídos num incêndio criminoso só restando os olhos, que eram de contas de vidro coloridas, as chamadas “bolinhas de gude”. Emocionou-se ao falar do sonho do avô que foi consumido pela voracidade das chamas. Falou de coisas simples, mas que prendem a atenção de todos: amor, família, filhos, sua imensa fé e os pequenos milagres. Para a ávida platéia, relatou momentos angustiantes, quando teve um aneurisma cerebral extirpado numa longa e delicada cirurgia de risco, que fez com que enxergasse, a partir de então, a vida com novo olhar. Todos saímos do encontro mais enriquecidos, não apenas no âmbito literário, mas bem mais ricos espiritualmente. Merci! Gracias! Thanks! Arigato!Obrigada!

6 comentários:

Anônimo disse...

Data: 30/09/2009, 8:38:37 am
Nome: Maria Nazareth Furlan Pereira de Camargo
Queridos escritores e queridas escritoras do GOLP. É com alegria que fico sabendo do blog de vocês. Está muito bonito. Que linda página de apresentação! tenho acompanhado à distância as realizações do GOLP e parabenizo a todos(as) por tanta dedicação à literatura. Um grande abraço e muita saudade. Nazareth

Anônimo disse...

Data: 30/09/2009, 8:50:34 am
Nome: Eloah Margoni
Parabens ao grupo por mais este espaço e por esta conquista!

Anônimo disse...

Data: 30/09/2009, 9:24:41 am
Nome: MARIA CECILIA GOUVEA WAECHTER
Que lndo! Ivana sempre atuante, VIVA!!!!! Vale deixar poesia ou só prosa?????
bejos em todos, que o Blog seja imortal!
Maria Cecilia

Anônimo disse...

Data: 30/09/2009, 10:19:54 am
Nome: Sérgio Spenassatto
Olá, pessoal do GOLP. Fiquei feliz em receber notícias da existência de mais um instrumento de divulgação da nossa literatura. Sucesso para todos os escritores e poetas. Afinal, retratar a alma de nosso povo com arte e poesia, como vocês fazem, é algo que engrandece o Brasil.
Um abraço, Sérgio Spenassatto.

Anônimo disse...

Data: 30/09/2009, 10:41:06 am
Nome: Ricardo Monteiro
Olá pessoal,
Foi bom conhecer o blog de voces... Estarei visitando mais vezes. Sucesso.

Anônimo disse...

30/09/2009, 3:11:40 pm
Nome: Gabriel Araújo dos Santos - Campinas SP
Diz-se que felicidade são momentos. E quantas vezes sinto a felicidade. A de ter conhecido Piracicaba, e em especial a terna e atenciosa Ivana, que tão gentilmente se lembrou de mim e me apontou a página deste blog. Que beleza a sua história, ou a história do GOLP, vendo ali o tão despretencioso Ignácio Loyola Brandão, com que tive o prazer de bater um papo longo e proveitoso das vezes que nos encontramos num evento cultural do Banco Real (Talentos da Maturidade) em S. Paulo, e, algum tempo depois, no aeroporto de Congonhas, quando ficamos ali retidos aguardando embarque.
Feliz também por ter em meus guardados na estante a antologia do concurso "Prêmio Ignácio de Loyola Bandão", quando me premiaram o conto "A Promessa".
Feliz de ver a perseverança dessa gente boa e culta de Piracicaba, alegrando as gentes com sua boa literatura e eventos culturais.