As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

domingo, 5 de fevereiro de 2012

SACOLINHAS PLÁSTICAS


Ivana Maria França de Negri

Está causando muita polêmica a lei que entrou em vigor recentemente e obriga os supermercados a erradicarem as sacolas plásticas.
Bem antes dessa lei, há vários anos, eu já não utilizo sacolas plásticas. Sempre levo algumas no carro, outras dobráveis na bolsa, e tenho as de pano, que podem ser higienizadas na máquina de lavar roupas. O importante é substituir as plásticas por qualquer produto durável. Ninguém é obrigado a comprar sacola nenhuma. Mas todos temos a obrigação de zelar pelo meio ambiente e não desperdiçar como muitos faziam, colocando um item em cada sacola. Como era de graça, o consumidor fazia a farra, sem critérios.
Vejo pessoas indignadas, reclamando, gente que não deve estar preocupada com seus próprios filhos e netos, com o futuro deles e com o planeta degradado que deixarão de herança. Penso que desconhecem o fato de que o plástico demora centenas de anos para se decompor no meio ambiente. Será que não imaginam que as milhares de sacolinhas plásticas utilizadas sem critério geram toneladas de lixo poluente na natureza?
Na Europa existe uma exagerada preocupação com o lixo gerado pelas embalagens. Em muitas lojas, quem não leva sacola de casa também tem que pagar pelas que utilizar. Esse método de “mexer no bolso” funciona muito bem. Tudo o que se oferece de graça, gera desperdício. Estão reclamando porque teriam de pagar por sacolas, mas ninguém é obrigado a comprá-las, é só uma das opções que os supermercados oferecem.
Sacolinhas sempre foram péssimas para os lixeiros, pois é só enchê-las de lixo úmido que elas arrebentam e se desfazem e o conteúdo se espalha pelas ruas. Já os sacos de lixo pretos, geralmente feitos de material reciclado, são mais resistentes e tem capacidade de armazenar o lixo de vários dias. Diferente das sacolinhas de supermercados, que não podem ser de material reciclado porque acondicionam alimentos.
Se as empresas e governantes daqui estão “acordando” agora para o problema (antes tarde do que nunca) por que ser do contra? Estamos atrasados décadas, pois em outros países essa lei já existe faz tempo e todo mundo já se conscientizou. Qualquer atitude para minimizar problemas ambientais crônicos é bem vinda e louvável. Cada cliente tem que se virar para transportar suas compras levando as próprias sacolas reutilizáveis ou utilizando caixas de papelão, carrinhos de feira, cestas, o que sua imaginação inventar. Um supermercado de Piracicaba já aboliu sacolas faz tempo, e não entendi porque só agora, com a lei, o povo ficou revoltado.
É claro que existem muitas outras formas de poluição e embalagens plásticas que precisam ser reavaliadas e produzidas com material menos poluente. Mas é nossa obrigação apoiar toda iniciativa que vise menos lixo no planeta. Sempre dou de presente sacolinhas ecológicas. Quem quiser, pode comprá-las até de ONGs como a ViraLata ViraVida, ajudando animais e o meio ambiente ao mesmo tempo.
O plástico é um dos maiores vilões ambientais e das cerca de 100 milhões de toneladas produzidas, 10% acaba indo nos oceanos virando uma verdadeira sopa plástica que mata milhares de animais marinhos e aves.
Cada um tem que se esforçar e fazer a sua parte. Muito cuidado ao repassar campanhas da internet contra a erradicação das sacolas, orquestradas pelos fabricantes de sacolas e indústria do plástico. Procurem se informar antes de repassar qualquer mensagem.
A natureza e o planeta agradecem!

SACOLINHAS PLÁSTICAS SOS RIOS DO BRASIL
CANTINHO LITERÁRIO
AMAR A NATUREZA

Um comentário:

Clarice Villac disse...

Excelente artigo, Ivana !

Concordo plenamente com você !