As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

terça-feira, 25 de julho de 2017

O escritor já está em casa


 Olivaldo Júnior

- Falem baixo, por favor,
que o silêncio perde a asa!...
Devagar com seu andor,
o escritor já está em casa.

Cada estrela é um amor
que São Jorge logo abrasa!...
Deixe em brasa sua flor,
o escritor já está em casa...

O escritor já está em casa,
no seu quarto, sem ninguém,
pois jamais o "tal" se casa!...

Sem "donzela", nem vintém,
de uma "pena" faz a casa

que aprisiona e lhe faz bem.

domingo, 23 de julho de 2017

Recanto dos Livros - Homenagens aos colaboradores voluntários

Fotos Ivana Negri e Nascimento












































sexta-feira, 21 de julho de 2017

Dia Nacional do Escritor



Ivana Maria França de Negri

Todos os anos, os grupos literários de Piracicaba promovem algum tipo de evento para comemorar o Dia do Escritor.
Já foram feitas palestras, distribuição de textos, eventos no Casarão do Turismo, na Praça José Bonifácio, na área de lazer da rua do Porto e em muitos outros lugares.
No ano passado, a comemoração foi no Recanto dos Livros, um sebo organizado por voluntários que fica dentro do Lar dos Velhinhos, com centenas de títulos à venda, cuja renda reverte-se para o Lar. Foram homenageados escritores piracicabanos já falecidos. Foi emocionante ver as famílias lerem poemas e textos dos entes que já partiram, mas que continuam encantando com seu legado literário.
Neste ano, os escritores dos grupos literários CLIP (Centro Literário de Piracicaba) e GOLP (Grupo Oficina Literária de Piracicaba) vão colocar em prática projetos que existem em vários estados brasileiros.
Aqui em Piracicaba, o projeto idealizado por Carmen Pilotto e eu, intitula-se “Livro com Pezinhos”, que consiste em incentivar as pessoas a passarem adiante os livros que já leram.
Livros são como as pessoas, se não caminharem, se exercitarem e tomarem ar fresco, adoecem. E se não forem folheados constantemente, adquirem fungos, traças, mofo, ficam empoeirados e obsoletos, perdendo a função primordial que é levar cultura aos leitores. Já o livro caminhante, fica saudável durante toda a sua vida útil, cumprindo exemplarmente sua função.
Uma amiga do Rio Grande do Sul tem um projeto semelhante que se chama “Livros com Asas”, porque os livros precisam voar, diz ela!
Na internet rola o chamamento “Esqueça um Livro”, estimulando o desapego literário, deixando livros em bom estado em vários locais neste dia 25.
Os escritores do CLIP e do GOLP vão deixar livros em consultórios, lanchonetes, centros culturais, cabeleireiros, bancos, com bilhetinhos grampeados explicando que os livros podem ser levados para casa, mas com o compromisso das pessoas que os levarem, de passarem adiante depois de lidos. Após a leitura, podem ser repassados para alguém, doados para bibliotecas de bairros, para o  Recanto dos Livros ou mesmo serem deixados em outros locais, sempre com o bilhete explicativo do que se trata.
O convite para participar do projeto se estende a todos os piracicabanos. É só a pessoa escrever um bilhetinho explicativo, grampear nos livros e deixá-los onde for mais fácil, em algum local perto de suas casas, onde haja boa circulação de pessoas.
Um livro parado, esquecido numa estante, não traz cultura, nem alegria, nem diversão e nem sabedoria para ninguém! Mas o livro caminhante, cumpre sua função de entreter, instruir, encantar e promover mudanças! Não quebre a corrente do Bem!




terça-feira, 18 de julho de 2017

Homenagem aos voluntários


Maria Iraci Pinto
(poetisa moradora do Lar dos Velhinhos de Piracicaba)

Mesmo sem um salário
É tudo gratificante
O trabalho voluntário
Sempre é edificante

Um sorriso de carinho
É mais que palavra dada
São pedras preciosas no caminho
Que por Deus foram jogadas.

Voluntário é gosto de amor
Nesse mundo tão sofrido
Trabalho de muito valor

Nem sempre reconhecido.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Lição de Cidadania *

Ivana Maria França de Negri

* Texto publicado na Gazeta de Piracicaba - 9 de julho de 2017

Gostaria de compartilhar com vocês o que aconteceu durante a festa junina de um clube da cidade, onde eu estava com minhas netas.
Havia brinquedos bem concorridos pela criançada, pula-pula, escorrega e outros. Pois bem, uma das gêmeas, estava na fila para entrar num dos brinquedos. Como toda criança, estava ansiosa aguardando a sua vez, e quando estava prestes a chegar o momento de entrar no brinquedo, pois era a próxima da fila, uma moça chegou com seu filho de uns dois anos e simplesmente o colocou na frente dela.
Eu achei muita cara de pau, mas não tive reação imediata. Minha neta, de apenas três aninhos, indignada, falou para a tal moça, mostrando com a mãozinha a longa fila de espera atrás dela: “tem fila, viu?” E a moça, vendo a determinação da menina,  resolveu pegar o filho e ir para o final da fila.
Fiquei orgulhosa da minha neta, mesmo tão pequena, mas já tendo noção do que é certo e do que é errado. Nota zero para a mãe que deu mau exemplo ao filho, dando a ele a ideia de que pode passar na frente dos outros.
O Brasil está passando por um momento difícil, toda corrupção de várias décadas, vindo à tona. E todo mundo revoltado, massacrando a classe política. Os noticiários já estão ficando monótonos, num prende e solta sem fim. Será que essa “escola” não tem raízes nos exemplos que tiveram na infância ou  juventude? E será que só os políticos são corruptos? Só eles desrespeitam as leis?
A educação começa em casa, bem cedo, com bons exemplos. Esse horroroso “jeitinho brasileiro”, essa mania de levar vantagem sempre, de não respeitar o direito dos outros, é que vai corrompendo todos e o “jeitinho” passa a ser institucionalizado, uma regra e não exceção. Por isso que o país vai mal das pernas. Podemos notar que nos países de primeiro mundo, as pessoas são educadas para pensar coletivamente e não individualmente, e isso é aplicado desde a mais tenra idade. Nesses países, ninguém se acha o centro do universo e sim parte da engrenagem, que só funcionará direito se todos fizerem a sua parte.
Brasileiro fura fila, estaciona em lugar proibido (é só um minutinho!), joga lixo pela janela do carro, não respeita o sono da vizinhança fazendo barulho e soltando bombas a qualquer hora do dia ou da noite, bebe e depois sai dirigindo e colocando a vida dos outros em risco. Desperdiça água, não recicla o lixo, e só pensa no próprio umbigo, os outros que se danem.
Enquanto as pessoas não mudarem a mentalidade, de nada adiantará criar novas leis. Todo mundo vive reclamando, fazem ruidosas manifestações para ter seus direitos atendidos, mas se esquecem que tem deveres a cumprir também.
Se alguém acha uma carteira com dinheiro e devolve, aparece na televisão e nos jornais como se fosse um grande feito, quando na verdade, essa pessoa não fez nada mais do que a obrigação. Se não é dela, tem mesmo que devolver a quem é de direito.
Li uma frase interessante na internet: “Quer mudar o Brasil? Mude você primeiro!” Na mesma linha de pensamento, os dizeres de Mahatma Gandhi: “Seja a mudança que quer ver no mundo”. E é por aí mesmo, ter ética, valores, e aprimorar a educação, só assim melhoraremos não só o país, mas o planeta inteiro!



sábado, 8 de julho de 2017

Resultado do Microcontos de Humor


A Prefeitura de Piracicaba, por meio da SEMACTUR (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo), CEDHU (Centro Nacional de Humor Gráfico) e Biblioteca Pública Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto”, anuncia os vencedores do 7º Concurso Microcontos de Humor de Piracicaba 2017. O microconto campeão é Narcísio Meirade Mauro Bartolomeu; o segundo lugar ficou com Beaglesde Fábio Aulísio; #Job, de Maria Augusta Pereira Rodrigues, é o terceiro microconto premiado.
Os trabalhos ganhadores receberão premiação de R$ 800,00 (1º lugar), R$ 500,00 (2º lugar) e R$ 300,00 (3º lugar). Além dos três primeiros lugares, outros 97 microcontos selecionados comporão a antologia do concurso, que será disponibilizada em formato digital, para download gratuito, no site da Biblioteca.
Comissão Julgadora foi composta por André Bueno de Oliveira (escritor e poeta)Anderson Brongna (escritor, contador de histórias e graduado em artes), Carmelina Toledo Piza (escritora, contadora de histórias, mestre em educação), Sandra Sanchez Baldessin (graduada e pós-graduada em Letras, consultora, revisora, crítica literária e professora de literatura) e William Hussar(cartunista, crítico de arte e representante do Salão Internacional de Humor de Piracicaba).
O Microcontos de Humor de Piracicaba deste ano teve o maior número de inscrições  registrado em todas as 7 edições do concurso. Foram 509 textos enviados de 23 estados brasileiros e também do exterior (Estados Unidos, Japão, Holanda e Portugal). De Piracicaba, foram 60 microcontos participantes.
A Comissão Organizadora parabeniza os vencedores e selecionados e agradece a todos os participantes. 

Microcontos vencedores

1º lugar – Narcísio Meira
Preocupava-se muito com a imagem. Era instalador de TV a cabo.
Mauro Bartolomeu | Batatais/SP

2º lugar – Beagles
John, Paul, George e Pingo formaram os Beagles e… Chega! Impossível escrever um conto com esse maldito corretor ortográfico.
Fábio Aulísio | São Paulo/SP

3º lugar – #Job
Criou: céu, terra, plantas, animais e humanos.
Disse: Haja filtro e Photoshop!
Viu que era bom. Postou nas redes sociais e descansou.
Maria Augusta Pereira Rodrigues | Manaus/AM

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Flutuações


                
Leda Coletti

Tempo casmurro traz melancolias,
tédio, lembranças mórbidas sem fim,
o humor se vai, também as alegrias,
deixando a solidão bater em mim.

Se o ambiente mesclar lentas melodias,
mesmo entre flores lindas de um jardim,
meu coração se aperta nesses dias,
igual ao sopro triste de um clarim.

Mas, nada nesta vida dura muito,
um presente de Deus tão bom, gratuito,
vem colorir, dourar mais o arrebol.

Devagar, acabou-se a nostalgia,
de novo visitou-me a poesia
e o que era negritude virou sol.