As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

domingo, 31 de maio de 2015

RETALHOS DA VIDA


Leda Coletti

Na maioria quadrados: de todos os tamanhos e cores. Certinhos sem senões. São muito fáceis de construir.
Sei que a vida é uma bola que gira e quanto mais rápida mais atordoa; por isso no lugar dos círculos, ainda prefiro os retalhos quadrados. Até que os retangulares servem pra pensar na possibilidade de sair da bolha. Só ilusão, porque quando o caminho parece continuar, já vira pra outro curtinho e faz o medo aparecer. Daí pra disfarçar, a gente remexe igual a balão subindo, subindo pro céu, dançando um sambão lascado, esnobando qual losango pintado de vermelho, branco, preto, dourado. Essa euforia no firmamento dura até o seu lume apagar.
Chega a noite. Extasio-me com a colcha estendida, exibindo no seu centro, retalhos luminosos estrelando a constelação Cruzeiro do Sul!
Relaxo então meu corpo sobre esse azul repousante, onde brincam quadrados, retângulos, losangos, círculos multicores e sinto nos sonhos, uma nova estrela nascer dentro de mim ! 

sábado, 30 de maio de 2015

domingo, 24 de maio de 2015

Quem conversa vive mais

Plínio Montagner


Café com Amigas: a melhor receita para se sentir melhor.
Texto maravilhoso, cômico, repleto de verdades – foi o tema de uma palestra proferida pelo chefe do departamento de Psiquiatria da Universidade Stanford.
No final da exposição o pesquisador apontou, entre outros motivos, que uma das melhores coisas que um homem pode fazer por sua saúde é se casar, e que o casamento aumenta a longevidade e o bem-estar pessoal de qualquer um.
Será mesmo? - casar por casar, casar por amor ou por qualquer outro motivo, só o tempo vai demonstrar se a decisão foi acertada.  Além da paixão, o casamento precisa de outros complementos para dar certo. Quem casa, casa com um universo de diferenças que se não forem bem conhecidas, poderão afetar a relação.
Sobre a mulher o palestrante admitiu um dado inédito: para o bem de sua saúde, as mulheres precisam cultivar seus relacionamentos com as amigas.
Apesar das demonstrações de surpresa dos presentes continuou sério, e acrescentou, que estudos mostram que as mulheres se conectam de maneira diferente dos homens e que possuem sistemas que as ajudam a lidar com experiências estressantes e difíceis em suas vidas.
O conferencista confirmou que no campo fisiológico, bate-papos casuais, visitas informais, encontros para um chá, comemorações natalícias, visita a uma amiga, ajudam o organismo das mulheres a produzir mais serotonina que as auxilia no combate à depressão, e, com isto, cria uma sensação de bem-estar e sentimentos positivos.
Esse dado justifica, talvez, entre outros motivos, porque elas vivem mais do que os homens. As mulheres fazem uma coisa que eles detestam: conversar. É isso.
Conversar por conversar, como as mulheres, e com enorme prazer, para os homens é apavorante. Homem não consegue falar de si, de paixões e de emoções pessoais porque acham que isso é próprio do sexo feminino. Esse comportamento é tão antigo que faz parte de sua herança genética. E as mulheres gostam, e fazem com prazer; nem precisam de motivos especiais para se reunir com as amigas.
Essa peculiaridade lhes causa muitos benefícios. Qualquer assunto é bem-vindo. O que é mais importante é que as mulheres cultivam amizades.
Os homens, por sua natureza, só se reúnem para discutir assuntos objetivos, sérios, que ao término de suas reuniões saem nervosos e cansados.
Homem não extravasa mágoas. Só pensa e conversa se o assunto for comida, bebida, esporte, política, trabalho, negócios e sexo. Outras formas de lazer são prazerosas só se envolverem competições.
Nesse ponto, ele sai perdendo.
Estudos sobre esse tema revelam que há uma tendência a se pensar que somente quando nos envolvemos com alguma atividade física é que estamos fazendo algo de bom para nosso corpo, enquanto jogar conversa fora é um desperdício de tempo.
Isso não é verdade, afirma o conferencista. Homem sozinho vira um traste. Faz bobagens, fica relaxado e melancólico. Celibato, separação e viuvez, ninguém sabe o que é pior.
O conferencista acrescentou, no caso das mulheres, que o tempo gasto com amigas é tão importante para a saúde, senão muito mais, do que a prática de esportes, boa alimentação, exames médicos e medicamentos.

Em verdade, as mulheres que têm amigas são “sortudas”, porque a amizade entre elas é tão benéfica como não beber ou fumar.

terça-feira, 19 de maio de 2015

LUA DE MAIO


Carmen Pilotto


Ela me espia
Sorrateira sorri
Me abduz ao sonho
E embora os místicos insistam
Que traz má sorte
Eu me envolvo
E flutuo no delírio noturno
Da solidão dos poetas
Que não dormem
Mas devaneiam nas palavras...

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Sinceridade


Maria Madalena Tricânico

Brinco  com  as  palavras e  com  as  pessoas
Como  se  a  vida  fosse  um  tabuleiro  de  xadrez
Envolvo  as  pessoas  no  que  elas  têm
De  mais  puro  e  sincero...
Seus  sentimentos.

Hoje  estou  triste,  muito  triste,
Não  tem  sol  e  sinto-me  órfã.
Cai  uma  chuva  mansinha  e 
Renova  os  mais  puros  sentimentos.

Sou  a  poesia,  a  trova,
O  poema  e  o  soneto...
Sou  as  palavras  que  tanto
Tanto  você  quer  ouvir
Para  viver  um  grande  amor. 


segunda-feira, 11 de maio de 2015

Vida sem sentido


Elda Nympha Cobra Silveira

Empunhando sonhos,
Empurrando anelos,
Viver mais um dia representam elos
Que vão se esgarçando como tramas frágeis,
Como grandes farpas desgastando sonos.
Insones noites de fantasmas ágeis,
Que vão sugando anseios e desesperanças
Serão tormentos de outras priscas eras
Que já vivi sem rumo e sem alento
Para prosseguir nessa empreitada
Que me parece sem fim...
Inacabada... e  permanece  assim,
Estendendo-se demais pela madrugada.



domingo, 10 de maio de 2015

Poema para as mães


Olivaldo Júnior
 
Para as mães que foram pais
de seus filhos desde cedo
e aprenderam que, no mais,
vencem logo todo o medo...
 
Para as mães que dão no pé
quando a coisa fica feia,
mas retornam quando a fé
fica firme e nos clareia...
 
Para as mães que são raiz
para os pés de seus meninos,
dando a eles um país
para a volta, pequeninos...
 
Para as mães que são avós
educando seus netinhos,
cujas mães as deixam sós
para a cria dos filhinhos...
 
Para as mães que foram luz
para os "Cristos" desde ontem,
que as alcance o bom Jesus,
nenhum mal jamais lhe contem!

Persistência de mãe


Lídia Sendin

Filho, você não sabe as tristezas, quantas
E quantas das várias feridas
Que nasceram de tantas
E tantas noites não dormidas.
Imagine você quantas
E quantas esperanças, sumidas.
E tantas sonhadas e perdidas.
Ninguém saberá quantas
E quantas vozes não ouvidas
De conselhos, tantas e despercebidas.
Muitas vidas, já foram perdidas.
E mães sem consolo, tantas!
Você não imagina quantas.
E quantas orações seguidas,
Foram muitas e tantas
Noites e noites repetidas.
No entanto, nem um dia sequer, arrependida,
Parei para contá-las quantas.
Apenas, continuo humilde e confiante,
A rogar a Deus até meu último instante,
Tudo o que meu coração tem desejado,
Que na sua bondade eterna santa,
Conserve você sempre ao meu lado

segunda-feira, 4 de maio de 2015

FILHOS DO CORAÇÃO


Lídia Sendin


Junto ao seu corpo a mulher embala,

O filho amado, com total desvelo,

Imagem bela, que ao mundo fala,

De meses pra gerar e dores para tê-lo.

 

Quando se pensa que da carne veio,

Gentil rebento ao seio aconchegado,

Não se imaginam as noites de anseio,

E de esperança de ele ser gerado.

 

Essa criança que agora acalenta,

Não como tantas que não se escolhem,

Se em seu peito não a amamenta.

É com carinho que afaga e acolhe.

 

Pois se não foi por ela concebida,

Nem em seu corpo feita a gestação,

Foi, com certeza, sempre bem querida,

E, naturalmente, nasceu do coração!



sexta-feira, 1 de maio de 2015

CANSAÇO


Olivaldo Junior


        Na verdade, estou cansado. O que é o cansaço senão uma vontade da alma se libertar e estar além, com as aves e com os anjos, que a entendem mais que os homens? Não sei falar de tudo o que falam os homens, nem tenho WhatsApp. Estou meio fora do mundo, em outro mundo. Não sei jogar cartas e nem blefo com a vida. Estou por fora, perdi a hora, e já vem a aurora, sem ninguém que seja amigo o bastante para estar comigo em uma simples caminhada, ou me pergunte como é ser eu mesmo na jornada. Os jornais já falam de mim, mas tem gente que se lembra de que, um dia, fui "alguém". Ninguém me conta a verdade que vai em seu peito, e eu, por despeito, já não falo muito de mim. Estou cansado. Meus pés, doídos, na salmoura de um salmo, refrescam-se todos e eu sou todo ouvidos para o vento, que anda mudo e, à moda dele, ainda me fala. Calo-me. Estou cansado. Isso é tudo. Quase nada. Ah, se eu bebesse o suficiente, se eu cantasse mais alto!... Mas voo baixo e, cabisbaixo, vejo as pedras que me emperram cada passo. O espaço, pequeno, é o que tenho para mim. Ontem, sexta-feira, foi-se embora o meu sonho. O mundo é mais real do que eu quero. E não quero muito mais do que eu tenho. Na verdade, o cansaço é na alma, na palma de quem ama e se inflama.