As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Dia de Todos os Santos (homenagem a Ludovico da Silva)

Uma das agradáveis reuniões do GOLP, na Casa do Médico, tendo Ludovico à frente

Carmen M.S.F. Pilotto

  
A Alma de um escritor é um ambiente sempre conturbado onde emoções afloram vorazes e conturbadas. Lá fora, um dia nublado de todos os Santos. Na TV cultura, um especial sobre a “Bohemian Rhapsody”, com Freddie Mercury, arrasando em uma intensa voz que mistura rock e ópera incidindo sobre nosso humor como algo intenso e abrasador.
Ontem nosso amigo Ludovico da Silva mudou de plano. Um sentimento amargo em nossa rotina nos toma com o aumento das ausências dos queridos escritores que passaram para outro lado. Viajando pelo site do Grupo Oficina Literária de Piracicaba, encontro um lindo texto dele, de 13 de fevereiro de 2010, sobre a Felicidade: “Ao abrir a janela, logo pela manhã, deparei com uma paisagem que prenunciava um dia triste. O céu estava encoberto por nuvens escuras, barrando o sol, que lutava com seus raios fortes, para dar vida à natureza. Uma chuva começou a forçar as pessoas a apressar os passos. As flores, que enfeitavam os jardins, se encolhiam entre os ramos dos arbustos, à procura de abrigo. Pareciam tristes, como o próprio tempo. Fios de água escorriam pela sarjeta, ganhando força ao alcançar a ladeira escorregadia e se perdiam no encontro do rio la embaixo. Mas tudo passou de repente. Então, vi os raios do sol atravessando a chuva mansa, colorindo o céu, com a beleza de um arco-íris. Meus olhos encheram-se de felicidade.”érico rocha
Ludo era assim, todo realidade-cotidiana, relatava as microssensações que o assomavam e escrevia sobre a rotina, imagens, de forma singela e intensa, assim como a vida se apresenta, norteado pela simplicidade e experiência dos momentos vividos e observados.
Escreveu muitos anos no Jornal de Piracicaba a coluna QG do XV como um observador apaixonado por futebol, especialmente de sua terra natal. Coordenou em conjunto com a amiga Ivana Negri a página Prosa &Verso, na Tribuna Piracicabana, divulgando os amigos escritores de Piracicaba.
Foi também um dos fundadores do Grupo Oficina Literária de Piracicaba tendo recebido diversos reconhecimentos por prêmios e dignidades municipais da cultura, especialmente a Medalha de Literatura Profa. Branca Mota de Toledo Sachs.
Contabilista, professor, economista e jornalista tinha um perfil detalhista na literatura que praticava. Sua obra publicada, O diário de um ano bissexto, originou-se de uma pesquisa que relatou por crônicas muito interessantes e de humor com fatos folclóricos do calendário de um ano bissexto, utilizando suas datas mencionadas a partir de registros culturais, cívicos, profissionais, históricos e curiosos.
Como ser humano, marido extremoso, tinha muito afeto por sua família. Com um sorriso tímido, jeito discreto, era dono de um olhar misterioso e melancólico. Não era pessoa de exageradas palavras  mas  trazia sempre um comentário inteligente e bem colocado para toda e qualquer situação, comumente chamado de bom senso e discrição. Seu andar me fazia lembrar Carlos Drummond de Andrade, visto que todos nossos amigos nos remetem para alguém de nossa mente ficcional.
Seriam inúmeros textos que poderíamos citar de nosso amigo Ludo para expressar nosso pesar pela sua passagem, mas nada pode representar melhor do que sua própria frase na crônica Os vãos da vida: “Os invernos da vida entristecem olhares e sulcam as faces. Mas procuro alguém. Olho pelos lados. Canso-me. Tudo em vão. Os amigos sempre vão.”



Um comentário:

Anônimo disse...

Ivana, favor incluir que a coluna Prosa e Verso é do Jornal A Tribuna de Piracicaba.

Grata

Carmen Pilotto