As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

domingo, 6 de setembro de 2015

A mensagem dos porcos do Rodoanel


Ivana Maria França de Negri

            Eram apenas porcos indo para o matadouro. Cena que acontece todos os dias, centenas de caminhões madrugada adentro levando os pequenos cristos para serem imolados em frigoríficos para que sua carne vá ainda fresca e gotejando sangue para os açougues.
            Ninguém nunca quis saber de sua vida, de seu sofrimento, de sua angústia, afinal, humanos são consumidores de bacon, linguiça, salame, salsicha e outros produtos oriundos desses pobres infelizes. No imaginário popular porcos são animais sujos, grotescos, uma simples carga num caminhão.
Nesta semana, aconteceu algo inusitado, que surpreendeu a todos. Num acidente no rodoanel de Barueri, um caminhão tombou lotado de porcos. Tentaram desvirar a carreta com os animais dentro e o resultado foi terrível, muitos se machucaram gravemente e morreram, e outros sobreviveram feridos, repletos de fraturas.
Ativistas da causa animal se uniram pelas redes sociais e logo um mutirão estava lá, oferecendo água para eles e tentando resgatá-los. O frigorífico já tinha remanejado  cerca de vinte e dois animais, mas os protetores não queriam que fossem para o matadouro depois de tanto sofrimento. Foram horas e horas de agonia. Conseguiram consentimento para levar os que restaram vivos e feridos para um santuário onde animais de todo porte, resgatados de casos de maus tratos, tem guarida, comida e carinho.
Foi uma conquista, um marco para os protetores de animais. Todos sabemos que outros milhares irão em outros caminhões rumo ao cruel destino. Mas a grande vitória foi conseguir abertura para um assunto considerado tabu, fazer com que as atenções se voltassem para os animais criados para consumo humano. Não é de interesse da indústria, dos frigoríficos e revendedores, mostrar o holocausto que os animais vivem. O marketing mostra uma imagem completamente diferente, de animais felizes e soltos.
Animais vistos meramente como comida, tiveram seu sofrimento mostrado nas redes sociais e nos noticiários televisivos. Geralmente esse tipo de notícia tem como protagonistas cães, gatos ou cavalos que tenham sofrido maus tratos ou vivido dramas diversos. Nunca um animal criado para consumo teve sua vida de tortura mostrada abertamente na mídia.  E os porcos foram vistos, talvez pela primeira vez, como animais que merecem compaixão e respeito. Havia fêmeas prenhas, umas com mastite, outras com mamas inchadas o que demonstrava que estavam amamentando, todas obesas, estressadas, com sede, e muito medo, como acontece todos os dias e ninguém vê.
A ciência afirma que porcos tem inteligência superior à dos cães. A criação deles é uma das mais cruéis. As matrizes são contidas em baias minúsculas e não podem mover-se para engorda rápida. Quanto mais rápido engordam, mais cedo vão para o abate. São obrigadas a parir a vida toda e amamentam seus filhotes através das grades. Muitos dos filhotes, ainda bebês, vão para o matadouro. É uma indústria insana, em ritmo frenético, pois é preciso abastecer esse comércio que aumenta cada vez mais.
Muitos jornalistas televisivos fizeram comentários de muito mau gosto como o Bóris Casoy (aquele que zombou dos garis sem saber que estava no ar) que encerrou a matéria com esta pérola: “que desperdício de feijoada”. Esse infeliz perdeu mais uma oportunidade de ficar calado.
            Que este acontecimento trágico sirva para reflexão, que pensemos quanto sofrimento causamos aos animais, criaturas inocentes e vítimas da voracidade humana.

Nenhum comentário: