As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

domingo, 24 de maio de 2015

Quem conversa vive mais

Plínio Montagner


Café com Amigas: a melhor receita para se sentir melhor.
Texto maravilhoso, cômico, repleto de verdades – foi o tema de uma palestra proferida pelo chefe do departamento de Psiquiatria da Universidade Stanford.
No final da exposição o pesquisador apontou, entre outros motivos, que uma das melhores coisas que um homem pode fazer por sua saúde é se casar, e que o casamento aumenta a longevidade e o bem-estar pessoal de qualquer um.
Será mesmo? - casar por casar, casar por amor ou por qualquer outro motivo, só o tempo vai demonstrar se a decisão foi acertada.  Além da paixão, o casamento precisa de outros complementos para dar certo. Quem casa, casa com um universo de diferenças que se não forem bem conhecidas, poderão afetar a relação.
Sobre a mulher o palestrante admitiu um dado inédito: para o bem de sua saúde, as mulheres precisam cultivar seus relacionamentos com as amigas.
Apesar das demonstrações de surpresa dos presentes continuou sério, e acrescentou, que estudos mostram que as mulheres se conectam de maneira diferente dos homens e que possuem sistemas que as ajudam a lidar com experiências estressantes e difíceis em suas vidas.
O conferencista confirmou que no campo fisiológico, bate-papos casuais, visitas informais, encontros para um chá, comemorações natalícias, visita a uma amiga, ajudam o organismo das mulheres a produzir mais serotonina que as auxilia no combate à depressão, e, com isto, cria uma sensação de bem-estar e sentimentos positivos.
Esse dado justifica, talvez, entre outros motivos, porque elas vivem mais do que os homens. As mulheres fazem uma coisa que eles detestam: conversar. É isso.
Conversar por conversar, como as mulheres, e com enorme prazer, para os homens é apavorante. Homem não consegue falar de si, de paixões e de emoções pessoais porque acham que isso é próprio do sexo feminino. Esse comportamento é tão antigo que faz parte de sua herança genética. E as mulheres gostam, e fazem com prazer; nem precisam de motivos especiais para se reunir com as amigas.
Essa peculiaridade lhes causa muitos benefícios. Qualquer assunto é bem-vindo. O que é mais importante é que as mulheres cultivam amizades.
Os homens, por sua natureza, só se reúnem para discutir assuntos objetivos, sérios, que ao término de suas reuniões saem nervosos e cansados.
Homem não extravasa mágoas. Só pensa e conversa se o assunto for comida, bebida, esporte, política, trabalho, negócios e sexo. Outras formas de lazer são prazerosas só se envolverem competições.
Nesse ponto, ele sai perdendo.
Estudos sobre esse tema revelam que há uma tendência a se pensar que somente quando nos envolvemos com alguma atividade física é que estamos fazendo algo de bom para nosso corpo, enquanto jogar conversa fora é um desperdício de tempo.
Isso não é verdade, afirma o conferencista. Homem sozinho vira um traste. Faz bobagens, fica relaxado e melancólico. Celibato, separação e viuvez, ninguém sabe o que é pior.
O conferencista acrescentou, no caso das mulheres, que o tempo gasto com amigas é tão importante para a saúde, senão muito mais, do que a prática de esportes, boa alimentação, exames médicos e medicamentos.

Em verdade, as mulheres que têm amigas são “sortudas”, porque a amizade entre elas é tão benéfica como não beber ou fumar.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ainda bem que o conferencista era homem e não falava por experiencia
própria...

Também vale lembrar que ( como todos nós)as mulheres não são todas iguais!!!!!

Dirce Ramos de Lima