As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

OLHARES


Elda Nympha Cobra Silveira

Ao encontrar pessoas, podemos captar o significado do seu olhar. Eles diferem, dependendo de cada estado de espírito ou faixa etária.. Quanta inocência transparece no olhar de um bebê. Seu olhar é curioso por tudo que o cerca porque está nos limiares do conhecimento, da comunicação de emoções, como carinho, pedido de socorro ou por sobrevivência, por ter total dependência, portanto seu olhar é interrogativo e observador. Parece até que vemos um anjo que ainda não se assentou na Terra. Esse olhar de busca traz para quem cuida, a satisfação, o encanto por se sentir eleita na firmação dos seus valores e capacidades. O amor de uma criança é sempre verdadeiro e sincero. Ela sabe sorrir com os olhos quando está feliz.
O olhar de uma mãe ou pai, ou avós que babam de amor por aquele rebento que veio iluminar suas vidas, é o olhar que derrama com toda doçura, ele é como mel. Mas são muito diferentes os olhares de duas pessoas apaixonadas. Nem precisam dizer que se amam, é obvio! Basta ver seus olhares de um para o outro. São olhares quentes de mormaço, cheios de paixão e apelo sexual.. É como um apelo de masculinidade ou feminilidade: o encontro de almas sedentas por se completarem. Não precisam de palavras, a expressividade de seus entreolhares fala por eles.
Mas o olhar de uma pessoa má, de um criminoso, é totalmente carregado de rancor, e esse ódio distila de suas pupilas como uma rajada de balas. Se ele pudesse ferir com seu olhar, atingiria sua meta de maldade. Faz-me lembrar do olhar de Barrabás, de Judas e outros personagens das histórias, e são muito diferentes do olhar de Jesus que era só mansidão. Entre numa penitenciaria e veja a expressão dos detentos. Eles são carregados de ódio, se sentem injustiçados. Alimentam-se de rancor, não atinam que estão presos porque não podem conviver em sociedade, são como animais bravios na corrente, e se soltos, poucos se modificam para o bem. Também porque as prisões não são  reformatórios, mas  escolas de crime.. 
Já notaram que também animais expressam suas emoções? Quem tem um animal sabe como seus olhares traduzem afeto, fidelidade, raiva, doçura. Até um animal feroz se socializa com os humanos se tiver bons tratos, senão pode virar um monstro.                                                                             Às vezes uma pessoa encontra mais afeto ao entrar em casa e ser recebido por seu cão de olhar meigo, e como diz Roberto Carlos “ele me sorriu latindo” “do que pela sua própria família.

E o roçar lânguido nas nossas pernas pela gatinha manhosa, miando e procurando carinho, olhando para você ternamente... E são bichos hein? Muitas pessoas idosas  sequiosas de atenção e carinho, são assim porque pela vida toda viveram para os familiares e amigos, mas receberam em troca o abandono. E por não estarem recebendo de volta o que deram com tanto afeto, seus olhares hoje são tristes, de quem se sente inútil, e isolado da família. Ninguém tem mais tempo para eles, todos são muito ocupados e por incrível que pareça, os idosos procuram entender essa situação e dão todo desconto por essas vicissitudes que os magoam e entristece. Muitos procuram disfarçar, mas seus olhares lacrimosos e desiludidos são evidentes quando sentem,  na pele esse terrível problema.

Nenhum comentário: