As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014 – Literatura


Janeiro
15 - Lançamento do livro “Livre-me” de Caio Carmacho no Colombina Café
- Lançamento do romance “Laços do Sertão” de Camilo Irineu Quartarollo

Fevereiro
Lançamento do livro dos 80 anos da ACIPI (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba) por Angela Furlan Nolasco, editora da Gazeta de Piracicaba

Maio
6 – Lançamento do livro digital ZION da escritora e poetisa Eloah Margoni, prefaciado por Cecílio Elias Neto
27 - Clovis Pinto de Castro lançou na ACIPI o livro de crônicas “Para não ficar ausente da vida”.

Junho
05 - lançamento do livro ATEMPORAL de Rodrigo Mendes na Nobel/Shopping
06 - lançamento do livro Piracicaba 1964 – O Golpe Militar no Interior – de vários autores que vivenciaram o golpe de perto e pesquisadores jovens.
10– lançamento da Revista número 20 do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba no Museu Prudente de Moraes Barros.
27 – lançamento da Revista número 9 da Academia Piracicabana de Letras

Julho
19 -  lançamento do livro ZION de Eloah Margoni na Nobel do centro
30 - Cecílio Elias Netto autografou seu livro “Bom Dia - Crônicas do Autoexílio e da Prisão” na PASCA (Pastoral do serviço da caridade)

Agosto
9 - lançamento do livro “PENSAMENTO REALISTA” de Paulo Pereira da Costa na livraria Nobel do centro
9 -  historiador Claudinei Pollesel lançou um livro “Paróquia Imaculado Coração de Maria – 60 anos de vida e missão”

Setembro
25- Lançamento do livro de Gilberto Pompermayer “ Ativando o contato com Deus”
27 -Lançamento do livro de poemas “Cantos de Paz” de Felisbino de Almeida Leme.

Outubro
27 - Lançamento do livro “SILÊNCIOS” de Newman Ribeiro Simões nas dependências do SENAC
Novembro
01 – Lançamento do livro “Dicas do arquiteto João Chadad” na lotérica Copa 70
- Lançamento do livro de crônicas de Walter Naime “Do começo ao fim de um começo”

14 – Pelo Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba os autores: Adolpho Queiroz, Cecília Elias Neto me Evaldo Vicente lançam o livro “Folclore Político em Piracicaba e outras Plagas”.

Dezembro
6- Lançamento do livro AD-VENTURUM, de Irineu Volpato na Casa do Povoador

20 – Lançamento do livro de poesias “Na calada da noite” de Benedito Daniel Valim e Maísa Valim prefaciado por Ivana Negri

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Logo, logo, é Ano Novo...


 Olivaldo Júnior

Da champanhe que vira suco,
do modesto pão com ovo,
sempre eclode o nosso cuco:
- Logo, logo, é Ano Novo...

Tem rapaz que joga truco
com a turma do trabalho,
garantindo que é "maluco",
mas só ganha no baralho...

Tem donzela sem o dom,
tem vovô sem a vovó
e um cantor que dá o tom...

Times Square?! Seria bom...
Mas a noite é do forró:
no Ano Novo, eterno som.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

MAIS UM NATAL

                                          


                                                                       Pedro Israel Novaes de Almeida
           
            Apesar dos apelos comerciais, a aproximação do Natal ainda segue semeando um clima de maior fraternidade humana.
            No ambiente de trabalho, as brincadeiras de amigo secreto, com a espontaneidade um pouco inibida pela presença dos chefes, descontraem o ambiente, após mais um ano de convivência. A limitação do valor dos presentes equipara os gastos, poupando exibições de riqueza.
            Nos jardins, lâmpadas chinesas e gambiarras elétricas tentam eletrocutar pessoas e torrar plantas, mas sempre acabam embelezando o ambiente. Presépios lembram que a data é um aniversário, e valorizam o aconchego de uma humilde e festejada manjedoura.
            Nos supermercados, consumidores amargam preços de ocasião, e lotam carrinhos. Carnes vão, ano a ano, cedendo lugar a frutas, mas ainda seguem recordistas em vendas, ao lado das bebidas.
            Filhos de pais sovinas já não estranham o fato de comer panetone em meados de janeiro, e ovos de páscoa em julho.
            Nas lojas, crianças tentam emocionar os pais, que aproveitam a oportunidade para jogar a culpa do baixo salário em Papai Noel, ou lembrar que o presente é um prêmio por algum bom comportamento.
            Houve um tempo em que as crianças acreditavam no bom velhinho, mas sempre existiram os malvados, ensinando que é uma criação humana.
            Religiosos aproveitam a data para cultos e encontros, e voluntários tentam minorar os sofrimentos alheios. Seresteiros, em grupo, alegram o ambiente.
            Para a maioria, o Natal é um pretexto à beberagem e comilança, entremeada por um ou outro cumprimento.  É um desfilar de emoções.
            Muitos passam o Natal entristecidos, pois é inevitável a lembrança dos que já se foram e das alegrias que presenciamos. O Natal é o exercício da gargalhada em público e do choro solitário.
            Mas não convém permitir que a natural tristeza, uma quase melancolia, perpétua saudade, macule a festa e a alegria dos que ainda não possuem passado.  É hora de festejar, sorrir e presentear, lembrando sempre os heróis do dia-a-dia, garis, socorristas, catadores de reciclados, guardas-noturnos, animais domésticos e tantos outros.
            O espírito do Natal, lembrando o surgimento de uma boa nova, faz falta à humanidade, já quase acostumada aos episódios diários de violência, com assassinato de crianças e degolas, à título de manifestação política, entremeada com radicalismo religioso. Faz falta ao ambiente de praças e esquinas, onde a pressa do dia a dia e a busca da sobrevivência faz vítima a solidariedade.
            E assim, de festa em festa, a humanidade segue sua trilha, entremeando feitos grandiosos com retrocessos desastrosos. Não sabemos o destino final da caminhada, mas a memória do aniversariante, homem brilhante, enviado celeste ou feliz criação de pensadores da época, indica um caminho e leciona virtudes que percorreram séculos e ainda inspiram grande parte da humanidade.
            É natal.
                        

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

PAZ PROFUNDA


Shirley Brunelli Crestana

Coloco um archote

no altar da noite
e rendo homenagem
ao Grande Poder
que transcende
 as mentes mortais.
Sozinha

sem dono
sem dores
guardo no âmago
a microssíntese do infinito.

Desejaria
por minutos
abandonar o corpo físico
e ter uma visão panorâmica
de todos os mundos.

Um raio de luz de suprema beleza

me alcança

enquanto o Universo complacente
 flama os desejos

que pariram todas as coisas

visíveis
  invisíveis
a Rosa...espírito
 a Cruz...matéria...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Projeto Mensagens Natalinas realizado por integrantes do CLIP

O Projeto que nos anos anteriores era realizado  na Rodoviária Municipal, este ano esteve com os idosos do Lar Betel que ganharam os cartões para seus familiares e amigos e também um presente cada um. Um lindo trabalho voluntário das escritoras
Raquel Delvaje, Leda Coletti, Madalena Tricânico, Idamis, Lurdinha, Sheila Tricânico, Lidia Sendin e Aracy Ferrari





As luzinhas do Natal



Olivaldo Júnior

Ao silêncio sepulcral,
entre tantos domicílios,
as luzinhas do Natal
iluminam muitos filhos.

Nem o grilo faz sarau
cricrilando seus "vidrilhos",
nem a gralha carnaval
gargalhando os estribilhos...

Só as luzes, no quintal,
entre o Cristo e seus fiéis,
dizem, mudas: é Natal!

Meu pecado, original,
é não ver que menestréis
também luzem, afinal...

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

SEMPRE NATAL


M. Nazareth Furlan P. de Camargo

No olhar, que se perde muito além
Das preocupações, povoando o dia-a-dia,
Acende-se um raio de esperança,
Pois tudo vai mudar.
É Natal.
Muito para comprar, poucos recursos,
Corre - corre de última hora!!!
Espicha-se o dinheiro e o tempo...
Gastando e sorrindo.
É Natal.
Lembranças de parentes e amigos,
Que partiram ou que a vida distanciou,
Nos retratos em sépia desfilam na memória.
Respira-se saudade.
É Natal.
Multiplica-se o abraço e a lembrança,
Divide-se o pão e o espaço,
Partilha-se a amizade e o presente.
Em cada coração uma canção.
É Natal.
Ah! E corre o tempo! Corre-se contra o tempo
E passam minutos, horas, dias...
No coração não.  O tempo de amar, esse não passa.

É sempre Natal!

sábado, 13 de dezembro de 2014

CHEGANDO O NATAL

                        
 Esther Vacchi Passos

Que alegria!  Novamente iremos festejar o Natal em família!!
Esta data tão especial que traz paz, amor e remete à infância nos levando a recordar bons momentos e para refletirmos nossas ações e atitudes durante o ano que passamos.
No Natal celebramos o nascimento de Jesus, fato ocorrido há cerca de 2000 anos, e assim continuamos a celebrar enquanto aguardamos alegres Sua volta nas nuvens do céu e cercado pelos anjos.
Para as crianças é um momento mágico e divertido, pois além de apreciarem os enfeites de Natal, também esperam ganhar presentes. Essa época coincide com as férias escolares e do trabalho, onde aumenta a alegria familiar e todos estão mais unidos.
O Natal renova a nossa esperança, nossa energia, nossa fé. O Natal traz sentimentos de gentileza, caridade, compaixão, perdão, e que estes sentimentos possam se transformar em atitudes no nosso dia a dia. É no Natal que abrimos nossos corações para revigorar nossas crenças e atitudes. Que o Espirito de Deus no Natal possa nos transbordar com toda a sua graça, e que Jesus seja sempre sua referência de vida!
Feliz Natal para todas as famílias Piracicabanas



quarta-feira, 3 de dezembro de 2014