As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

quinta-feira, 15 de maio de 2014

SAUDADE DE ANTIGAMENTE...



 Adenize Maria Costa
Um dos “sintomas” mais expressivos do envelhecimento é o saudosismo. Ultimamente esse sentimento tem me visitado com frequência, isso legitima que o tempo passou, que já vivi muitas situações e sobrevivia todas elas. É tão bom olhar para o passado e lá encontrar muitas coisas, situações e pessoas que fazem sentir saudades. Tenho sentido muitas “saudades de antigamente”...
Dia desses num raro momento de folga resolvi dar uma volta no Mercado Municipal, fazia muito tempo que não passava por lá. Definitivamente esse lugar me faz lembrar da minha infância. Todas as vezes em que vínhamos para a cidade era para comprar tecido na Casa Dom Bosco ou então comprar “calça rancheira” que hoje são famosas no mundo inteiro, as tais calças jeans. Por ter um tecido mais resistente, antigamente, eram usadas para trabalhar na roça. O roteiro na cidade incluía uma passada no Bazar Cor de Rosa para a compra de aviamentos de costura, uma passagem pela Farmácia do Povo para em geral comprar alguns blisters de Cibalena, Pomada Beladona e Iodex e depois uma passada pelo Mercadão, onde não havia muito o que se comprar porque tínhamos praticamente tudo no quintal, as vezes comprávamos maçãs, mas era raro, eram compradas quando já fazia parte dos planos visitar alguém doente ou convalescente. No mercado era de lei comer um pastel e tomar uma caçulinha ou um pingado... Hummmm! Só de lembrar dá água na boca...
Pois é, no meu passeio recente pelo mercado, sem pressa andei passando por todos os boxes. Olhando para aquele chão e pensava em quantas histórias estão guardadas ali, quantas pessoas, quantas gerações andaram por aqueles corredores levando e trazendo mercadorias. Estava emocionada.Não sei me emociono muito fácil nos últimos tempos! Fiz questão de parar na mesma banca, (não sei se é da mesma família), e propositadamente pedi um pastel e uma caçulinha. Pronto! Essa foi a chave para um retorno rápido ao passado, senti-me como quando era criança e tenho certeza que esse foi o pastel e a caçulinha mais saborosos dos últimos quarenta anos, misturado com gosto de lágrimas e de saudades.

Um comentário:

Anônimo disse...

Percebo claramente que o saudosismo das pessoas vindas das regiões não centrais são muito diferentes das minhas.
Aqui evoluimos e seguimos todos os aspectos da cidade: geográficos, social,costumes e tradições pois é diario nossa visita e passeio. Talvez, por isso não tenho saudosismo algum...Adoro mudanças!
Aos saudosistas meu abraço. á autora admiraçao e parabéns pela descrição dos sentimentos!


Dirce Ramos de Lima