As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

POEMILTON

Silvia Regina Oliveira
No pássaro, pio e asa – onipresente seu voo.
Todo canto chora um ai... luzia tanta graça...
Meu pai que ora não mais ilumina esta casa.


Saudades de nosso pai Milton de Oliveira -

lembrança de sua partida em 29 junho/2013

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

A semente da felicidade




Carmen M.S.F. Pilotto

Naquela tarde após uma rotina exaustiva, chegando em casa com os ombros curvados, vi um envelope pardo pousado sobre o chão do abrigo. Pensei:
- Mais uma daquelas correntes que odeio... Porque, de fato, não acredito em nenhum momento na eficácia das mesmas. De má vontade me arqueei um pouco e apanhei o pacote. Por fora, em letra caprichada, um delicado título Acadêmica e o meu nome completo. Curiosidade despertada, pois não se tratava de missiva entregue pelo correio.
Na parte interna um delicado soneto, uma semente  e uma missão: Plantar uma árvore em comemoração a efeméride do dia. Pensei:
- Meu Deus, agora não tenho como escapar, não posso me isentar da responsabilidade de lograr a tarefa a mim destinada. E, com o maior prazer, defini um local e cumpri minha tão nobre tarefa e me senti muito feliz!
Em minha alma, no momento do plantio, fiquei imaginando que nosso amigo Acadêmico, sem utilizar nenhuma mídia social ou fazer grande alarde, relacionou um pequeno número de eleitos e semeou sua linda e feliz ideia. Lembrei do lançamento de seu livro, com maravilhosos sonetos, cujos exemplares não ficaram disponíveis em livrarias mas foram distribuídos individualmente e com o carinho por ele e sua amável esposa. A cada entrega era como se um tesouro fosse compartilhado com entes queridos.
Nos dias de hoje, em que tudo é autopromoção e egos inflados, meu amigo provou que ser nobre é ser humilde e acreditar que sonhos simples multiplicados transformam o mundo em um lugar ainda possível.

Não direi o nome dele porque certamente ele ficará feliz se eu assim o fizer,  mas muitos saberão sobre quem estou falando e isso vai certamente fazer com que muitos pensem sobre certas atitudes em nosso cotidiano...

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

FAMÍLIA, FILHOS, ÁRVORES E LIVROS


Plinio Montagner

Atribui-se ao poeta cubano José Martí (1778/1850) a frase: “Há três coisas que um homem deve fazer em sua vida: plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro.”
É antiga essa citação. Mas agora os tempos mudaram e as pessoas morrem de velho.

FAMÍLIA
Filhos? Não basta tê-los, o que vale é o desempenho dos pais a vida toda. Fazer um filho não é nada, é um breve contato. Filhos duram muito, a vida toda, deles e a dos pais.
Na relação familiar os pais ajudam a prole desde que nascem, e param quando não dá mais. É um comportamento natural.
Então, pela lógica, quando os pais envelhecem, ou ficam doentes, ou não podem mais cuidar de si, seria natural que os filhos os ajudassem, como retribuição pela atenção e cuidados que receberam.
Mas isso não acontece sempre porque nas gerações passadas os filhos se davam melhor. Logo que se formavam saíam de casa, arrumavam emprego e decolavam na vida. Ficavam ricos, sábios e patrões, e em pouco tempo ultrapassavam os pais em conhecimento e independência financeira E os velhos continuavam do mesmo jeito, mas felizes pelos filhos.
Agora não acontece isso com nossos descendentes. Os pais não param de ajudar seus filhos.
Por que não é como antes? Será que antes a vida era mais fácil? Ou porque os pais eram enérgicos? Ou o ensino era primoroso e os alunos ficavam mais bem preparados? Porque foram abolidas as avaliações de aprendizagem? Os professores antigos eram melhores? O ensino era seletivo e não democrático como agora? Ou porque a ética não estava tão conspurcada?
A democratização exagerada das universidades e a distribuição de vagas pelo critério dos famigerados índices de cotas que subtrai vagas dos alunos melhores deixaram o saber como café aguado.  Hoje a maioria dos jovens se esforça e não consegue nem se igualar aos pais.

LIVROS
Escrever um livro? É tarefa difícil, e fácil. O papel aceita tudo. Qualquer um pode escrever. Mas se o escritor for talentoso seu livro será lido prazerosamente.
A arte da escrita anda um pouco banalizada, principalmente se o autor for uma celebridade, como diz o comentarista esportivo Neto, da TV  e Rádio Bandeirantes, “Hoje todo mundo joga bola”.
Em verdade os valores da sociedade andam estremecidos. Pais e  professores não sabem se devem preparar os aprendizes para viver bem ou para se dar bem.
Escrever é algo admirável e extenuante. É uma arte, precisa de talento. Em verdade, arte não é coisa que se aprende. Ela transcende o homem comum. É capacidade inata. Um bom livro dura gerações, faz bem às pessoas, instiga à reflexão e deixa os leitores tristes quando a leitura termina.

ÁRVORES
Plantar uma árvore é um ato de civilidade. É fácil seu plantio. Crianças fazem isso em dias de festas escolares; os passarinhos e o vento também. As árvores são maravilhosas.  Nossa vida dela depende. Dão sem olhar a quem, e não cobram nada.
Dão sombra, espaços para aves e outros animais, material para construção de casas, frutos, e, têm tudo a ver com o ar que respiramos.
Por isso elas devem ser superprotegidas para que a burrice do homem não desnude o planeta.
Uma árvore precisa ser plantada com planejamento e cuidada a vida toda, como filhos. Por isso é que cortar ou podar uma árvore é bem diferente do que cortar bananeira que já deu cacho.
Uma árvore é plantada em local inadequado compromete a segurança das pessoas e bens materiais. Solucionar o problema é difícil, dono é afrontado pelo excesso de burocracia para conseguir a autorização. É provável que o requerente morra e a árvore ficar lá.


Família, filhos, netos, amigos, árvores, festas, animais, livros, trabalho, viagens, alegria, amar, comer e beber, e boa saúde, disto é feito a vida: de momentos, lembrando o poeta argentino Borges.-(Instantes).

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Saindo ou entrando no Armário?


           
                                                                             
Leda Coletti

Falando nesta peça importante para uso doméstico cheia de gavetas, ou espaços prontos para guardar objetos materiais indispensáveis para a organização dos ambientes, sem pensar estávamos refletindo sobre nosso comportamento pessoal.
Ora nos assemelhamos a um armário embutido, cheio de tranqueiras, com nomes diversos: mágoas, tensões acumuladas, atitudes submissas, comprometimento maior com os deveres do que com os direitos, ou vice-versa, fugas inconscientes e até mesmo premeditadas.
Outras vezes, somos armários abertos: mostramos o que temos de bom e bonito, mas igualmente, o que temos de falso e mascarado.
Não sabemos o que é pior: viver nesse armário gaiola, ou em armário aberto.
O armário pessoal deve ser como a primeira parte do nome: arma para o bem, aquela que nos indica e oferece oportunidades para guardar adequados instrumentos, que nos tornam cada vez melhores. Só assim atingiremos o equilíbrio pessoal, o que nos diferencia dos animais irracionais. 

domingo, 22 de setembro de 2013

Um poema em cada árvore - 21 de setembro

Um poema em cada árvore - Piracicaba 2013
Na ESALQ ( Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz)
|No parque da rua do Porto


Carla Ceres aderindo ao evento "empoemando" árvores



Ao sabor do vento as palavras cantavam belezas das almas dos Poetas - Sarau Literário Piracicabano


Alunos da Escola Catharina Casale Padovani
Evento – um poema em cada árvore
As professoras de língua portuguesa da EE Profª Catharina Casale Padovani - Margarete Pagotto, Lourdes Vieira e Karen de Melo Pedreira levaram suas classes para um pic-nic cultural no parque de Santa Terezinha, bairro onde está localizada a escola em comemoração ao dia da árvore e também da poesia ( dias 19 e 20/09/13)
Os alunos, durante as aulas que antecederam o evento,  leram, selecionaram e escreveram poemas para serem afixados nas árvores do parque. Também tiveram contação de histórias com a diretora Christina Negro e uma palestra com a escritora Luzia Stocco.
Esta atividade pedagógica faz parte da programação cultural do município – uma iniciativa da Academia Piracicabana de Letras e outros grupos literários da cidade.
Alunos da Escola Catharina Casale Padovani
Alunos da Escola Catharina Casale Padovani
Alunos da Escola Catharina Casale Padovani

Na ESALQ

Aluno da professora Sonia Amaral (Escola Escola Municipal Nathálio Zanotta Sabino - Piracicaba)

Aluno da professora Sonia Amaral (Escola Escola Municipal Nathálio Zanotta Sabino - Piracicaba)
Aluno da professora Sonia Amaral (Escola Escola Municipal Nathálio Zanotta Sabino - Piracicaba)

Aluno da professora Sonia Amaral (Escola Escola Municipal Nathálio Zanotta Sabino - Piracicaba)

Poema na ESALQ




quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Benedicto Antonio Cotrin


Esio Antonio Pezzato

A notícia me pegou de surpresa. As notícias sempre nos pegam de surpresas. E foi triste. Faleceu o professor Cotrin. Meu pensamento me transportou a um passado distante... mais de 40 anos...' mais...e assim me vi jovem sonhador, sentado numa carteira de sala de aula no velho e lendário Sud Menucci, para mais uma aula de Português com o querido professor Cotrin.
Eram aulas fenomenais. Eram aulas onde o Professor era Mestre, o aluno discípulo. Nessa simbiose havia uma química perfeita... ou seria Física? Ou Geografia? Sim, pois saía um Mestre Demósthenes Santos Correa, entrava Abelardo Secarelli, saia Professor Secarelli entrava Professor Oswaldo Amorim. Saía professor Amorim, entrava Professor Cotrin...
O Professor Cotrin foi um Mestre. Aprendemos muito com este professor que, olhando por cima dos óculos, nos fitava, nos direcionava e nos mostrava um caminho sempre com um sorriso cordial nos lábios.
Quantas redações ele nos ensinava a redigir e com ela aprendíamos a desvendar e a revelar nosso próprio pensamento. 
Certa vez colei na porta da nossa sala de aula, um adesivo com os dizeres: Siga em frente, com uma seta apontando o caminho a seguir. O Professor Cotrin não teve dúvidas: naquela tarde, o tema da Redação foi: Havia uma seta em meu caminho!
Éramos todos jovens e sonhadores... não tínhamos passado. O futuro aparecia atrás da porta. As curvas eram imensas. Com certeza o Professor Cotrin muito nos ensinou e muito nos direcionou em nossas vidas...
Agora o Professor Cotrin passa a ser chamado por Saudade. É isso Professor. Saudade... Quantos, como eu não estão agora sentindo o mesmo gosto amargo dessa saudade? Centenas, milhares, com certeza...
Quantos alunos hoje não pranteiam esse Mestre de nosso Idioma, de nossa “Última Flor do Lácio inculta e bela...” Ah, Professor, quanta saudade agora ...
No livro de minha vida há uma página dourada, onde o Senhor me ajudou a escrever. Através de seus ensinamentos, quanto sobre Poesia aprendi...  ensinamentos tantos e tantos que até hoje norteiam meus passos ...
Bem lembro... bem me lembro. A retina dos olhos lacrimejam agora... mas a vida é assim mesmo. E eu, nesta sina, vou lembrando vultos queridos que participaram de minha vida... Com certeza o Professor Cotrin faz parte desta agora saudosa lembrança.
O Professor Cotrin, já em seus cinquenta anos, com tantos anos de magistério, indo estudar novamente,  para ser advogado. . Defendeu com garra as linhas mestras do Direito. Passou a ser referência, ponto de apoio. Era um novo advogado mas com a experiência de vida, que o fazia se sobressair entre seus pares.
 Há pouco tempo eu o vi passando pela porta da Caixa Econômica... segui seus passos... Quando me viu olhou com aqueles olhos de maresia, sorriu e eu perguntei-lhe:
– O Senhor se lembra de mim, Professor Cotrin? Ele novamente sorriu...e essa foi a última vez que nos falamos.
Agora silêncio, pois o Professor Cotrin abre as cortinas do Oriente Eterno e vai ensinar anjinhos em outra Esfera.
Saudade.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Um poema em cada árvore

Evento nacional



UM POEMA EM CADA ÁRVORE

Dia 21 de setembro será realizado simultaneamente em várias cidades brasileiras o evento “Um poema em cada árvore” (Mobilização Nacional), como um incentivo à leitura e com a finalidade de levar a poesia até onde o povo está.
Comemorando o Dia da Árvore e a chegada da Primavera, uma rede poetas, educadores, agentes culturais, clubes, escolas e redes sociais estarão mobilizados para realizar e divulgar o evento.
Em 2012 o evento aconteceu em 84 cidades brasileiras. Este ano, Piracicaba participa também através da Academia Piracicabana de Letras, Grupo Oficina Literária de Piracicaba, Centro Literário de Piracicaba, Poesia ao Vento, Sarau Literário Piracicabano e Clube dos Escritores de Piracicaba. Várias escolas aderiram também.



CIDADES E ARTICULADORES QUE REALIZARÃO O "UM POEMA EM CADA ÁRVORE MOBILIZAÇÃO NACIONAL - 2013"
CIDADE

ARTICULADOR
ALEXANDRIA - RN
INSTITUTO ZULMIRINHA VERAS

ALMENARA - MG
OSCIP MONSA

AROAZES - PI
CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL – CRAS

BACABAL - MA
ACADEMIA BACABALENSE DE LETRAS

BAGÉ - RS
CIA DE COMÉDIAS BUFÕES DA RAINHA

BELO HORIZONTE - MG
ESCOLA MUNICIPAL TENENTE MANOEL MAGALHÃES PENIDO
ESPAÇO FLUXO

BOQUEIRÃO - PB
MIRTES WALESKA SULPINO

CAMPINA GRANDE - PB
UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
NÚCLEO LITERÁRIO BLECAUTE
COLÉGIO MOTIVA
CAMPO GRANDE - MS
RONILÇO GUERREIRO

CAMPO NOVO DO PARECIS - MT
TEATRO OGAN

CANELA - RS
PABLO ANTUNES

CAXIAS DO SUL - RS
JUSSÁRA C GODINHO

CERQUILHO - SP
TEATRO MUNICIPAL DE CERQUILHO

CHAPADA GAÚCHA - MG
PONTO DE CULTURA ESPAÇO GERAL SEU DUCHIM DE FOLIAS

CONGONHAS - MG
CLUBE DO LIVRO DE CONGONHAS

CRUZ DO ESPÍRITO SANTO - PB
ONG ESPAÇO MÚLTIPLO

CURITIBA - PR
JUNIOR FRANCO

DIVINÓPOLIS - MG
BARKAÇA

DOURADOS - MS
INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE DE DOURADOS

ESPLANADA - BA
LULA RIBEIRO

FORTALEZA - CE
ELIZIO AYRES CARTAXO

GARANHUNS - PE
MÁRCIA MARACAJÁ

GOVERNADOR VALADARES - MG
INSTITUTO PSIA

GUARANESIA - MG
BIBLIOTECA PUBLICA MUNICIPAL DE GUARANESIA

IBATEGUARA - AL
INSTITUTO WALDA
ILHÉUS - BA
ASSOCIAÇÃO FILTRO DOS SONHOS

ITABAIANA - PB
ANTONIO COSTTA

ITABUNA - BA
PONTO DE CULTURA ASSOCIAÇÃO DO CULTO AFRO ITABUNENSE

LIVRAMENTO DE NOSSA SENHORA - BA
ESTER LÍGIA MACHADO ALMEIDA

MAJOR SALES - RN
MARIA CARLOS

MANAUS - AM
GRUPO FORMAS EM POEMAS

MARINGÁ - PR
MARCO HRUSCHKA

PELOTAS - RS
HELENA HELOISA MANJOURANY SILVA
PIRACICABA - SP
ACADEMIA PIRACICABANA DE LETRAS
GRUPO OFICINA LITERÁRIA DE PIRACICABA

PORTEIRINHA - MG
PREFEITURA MUNICIPAL

PORTO ALEGRE - RS
BENEDITO SALDANHA

PORTO VELHO - RO
COLETIVO MADEIRISTA

QUELUZ - SP
OSCIP VALE A PENA

RIBAS DO RIO PARDO - MS
BIBLIOTECA SESI

RIO DE JANEIRO - RJ
MARIO REZENDE

BIBLIOTECAS ESCOLARES MUNICIPAIS

RIO DOCE - MG
REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE RIO DOCE

SALVADOR - BA

CINE TEATRO SOLAR BOA VISTA
SANDRO NONATO ALMEIDA DA PAIXAO
SANTA CRUZ DO SUL - RS
FABIANA PICCININ

SANTA MARIA - RS
PIAZITO ARTE E CULTURA

SANTO ANDRÉ - SP
ANA MARIA REISKY VON DUBNITZ FUHR

SÃO FRANCISCO DE PAULA - RS
GRAZI CALAZANS

SÃO FRANCISCO DO SUL - SC
FUNDAÇÃO CULTURAL ILHA DE SÃO FRANCISCO

SÃO MATEUS -ES
ELIANE QUEIROZ AUER

SÃO PEDRO DA ALDEIA - RJ
LETICIA SOUZA DA COSTA

SOBRADINHO - DF
FERNANDO GURGEL FILHO

SOURE - PA
IVONE GAIA MAUES

TEIXEIRA DE FREITAS - BA
BIBLIOTECA SETORIAL DO CAMPUS X- UNIVERSIDADE ESTADUAL DA BAHIA

UBERABA - MG
ELISA MUNIZ BARRETTO DE CARVALHO

UIRAUNA - PB
DANILDA MARIA SANTIAGO ROLIM

UNAI - MG
GRUPO TEATRAL FÊNIX

VALENÇA - BA
CELESTE MARTINEZ

VILA VELHA - ES
GRUPO CÍRCULO DE LEITURA

VITÓRIA - ES
PONTO DE CULTURA MIRANTE

XAPURI - AC
CLENES GUERREIRO


Abraços poéticos,
Marcelo Rocha
Idealizador do Um poema em cada árvore

www.facebook.com/umpoemaemcadarvore

Modelo para impressão (Piracicaba)