As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Abertas as inscrições para o VIII PRÊMIO ESCRIBA DE CONTOS – 2013



REGULAMENTO DO VIII PRÊMIO ESCRIBA DE CONTOS – 2013



1 – O VIII PRÊMIO ESCRIBA DE CONTOS, oficializado por Lei Municipal, é promovido pela Prefeitura do Município de Piracicaba, através da Secretaria Municipal da Ação Cultural e da Biblioteca Pública Municipal de Piracicaba “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto”, com o apoio das Instituições Literárias de Piracicaba, com objetivo de dar oportunidade de expressão e manifestação a todo segmento de público.

·          Os concorrentes deverão ter a idade mínima de 15 (quinze) anos.

2 – Os contos serão inscritos mediante o cumprimento das seguinte exigência


2.1 -  Somente  pelo site:

 Os candidatos deverão mandar os três trabalhos inscritos somente para o site: http://biblioteca.piracicaba.sp.gov.br/premioescriba

                a) Os arquivos deverão ser enviados no formato DOC (Word)

                b) No e-mail deverá constar  quatro  anexos: um para cada um dos contos, somente com título, totalizando 3 anexos. E outro anexo (4º) deverá constar a identificação do participante conforme o item 3.

                c)Serão aceitos somente os trabalhos enviados com a ficha de inscrição disponível para download no site. Outras formas de inscrição que não sejam a oficial serão imediatamente desclassificadas.

3 – Fica assegurada, com o máximo rigor, a confidencialidade dos dados pessoais dos concorrentes. Os arquivos com os dados pessoais dos candidatos ficarão resguardados, sendo absolutamente desconhecidos dos membros da Comissão Julgadora.

4 – As inscrições estarão abertas de 29 de abril  de 2013 até 31 de maio de 2013, no seguinte endereço eletrônico: http://biblioteca.piracicaba.sp.gov.br/premioescriba

5 – Os autores do primeiro, do segundo e do terceiro trabalhos classificados receberão um troféu, um diploma e, respectivamente, os valores de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), R$ 3.000,00 (três mil reais) e R$ 2.000,00 (dois mil reais).

6 ─ Excetuando-se os três primeiros trabalhos premiados em 1º, 2º e 3º lugar , o melhor trabalho de escritor local (natural do município de Piracicaba ou nele residente há mais de dois anos) será premiado com a entrega de um  TROFÉU especial, que se constitui do mesmo troféu do Prêmio Escriba com a seguinte descrição “ Melhor de Piracicaba – Homenagem a Leo Vaz  e da quantia de R$ 1.500,00.

7 – Os trabalhos terão a seguinte classificação:
Os três primeiros lugares; o melhor de Piracicaba; 7 menções honrosas e 10 selecionados.

8 – A Secretaria Municipal da Ação Cultural indicará um júri constituído de 05 (cinco) intelectuais de reconhecida capacidade, atuantes na área da literatura, os quais procederão à seleção dos trabalhos inscritos, classificando os 21 (vinte e um) melhores contos. Os trabalhos não classificados serão deletados após a seleção e premiação.

9 – Os 21 (vinte e um) contos selecionados serão reunidos numa Antologia, que será editada pela Secretaria Municipal da Ação Cultural e oferecida aos participantes e entidades culturais sem custos adicionais.

10 – Aos classificados não será paga taxa monetária alguma a título de direitos autorais.

11 – A Secretaria Municipal da Ação Cultural se reserva o direito de veicular a Antologia da maneira que melhor lhe aprouver, sem fins lucrativos.

12 – Os prêmios serão conferidos em cerimônia previamente marcada, a ser realizada no mês de outubro de 2013. Todos os classificados receberão diplomas e 10 (dez) exemplares da antologia.

13 – O julgamento será realizado até o mês de agosto de 2013.

14 – Os concorrentes serão notificados do resultado  por e-mail, e por divulgação na Imprensa a partir da segunda quinzena de setembro.

15 – O simples envio dos contos implica na aceitação direta deste regulamento.

16 – Os trabalhos remetidos em desacordo com este Regulamento (falta de dados precisos ou de difícil identificação e aqueles corrompidos ou infectados etc.) serão sumariamente desclassificados.

17 – A decisão do júri é irrecorrível e não caberão recursos.

18 – Os trabalhos enviados com teor preconceituoso, pornográfico ou que possa ser considerado ofensivo serão desclassificados.

19 -  Os casos omissos neste regulamento serão resolvidos pela Comissão Organizadora e a de seleção e Premiação e pela Coordenadoria do VIII Prêmio Escriba de Contos.

Informações na Biblioteca Municipal
 telefone 3433 3674 / 3434 9032, com Junior, Josy ou Clara

domingo, 28 de abril de 2013

NOSSO AMIGO, SEO JOSÉ MARCENEIRO

Angel Raid


Maria Cecília Granner Fessel

Conheci seo José marceneiro por indicação de outras pessoas, quando precisei fazer novos arranjos após uma mudança.
Um senhor claro de baixa estatura, sexagenário magro de pouca fala. Uma dessas pessoas cautelosas que primeiro ouvem e avaliam para depois opinar ou sugerir.    Seu trabalho para nós foi tão perfeito, seu respeito por prazos e datas previamente combinadas tão constante, que até passamos a recomendá-lo para outras pessoas, quando nos perguntavam quem fizera tal serviço. Imaginem que ele até conquistou a confiança de nossa velha gata Mila, que ficava junto dele enquanto trabalhava...
Depois, falando de filhos e netos, ficamos sabendo que ele se casara com uma jovem nissei, filha de imigrantes japoneses da região noroeste do estado.
Os anos passaram, ele atendendo pacientemente nossos pedidos, até que viramos amigo a trocar histórias de vida.
Foi então que ele, com espontaneidade e seu jeito brincalhão, nos contou a história de seu casamento, quando tinha apenas 18 anos e apaixonou-se pela nissei ainda mais nova, tendo que enfrentar a família da moça, que vivia cercada e vigiada por pais, irmãos, tios e primos. Sendo ela menor de idade, ele se arriscava ainda mais, pensando até que teria de enfrentar a polícia ou um processo judicial para conseguir casar-se com ela. Mas o sentimento dos dois era forte e ele uma pessoa decidida- como é ainda hoje- então eles foram se arriscando, arranjando formas de se encontrar, até que houve um confronto decisivo...
Num certo domingo, foi ele até a praça da cidade onde morava a moça, resolvido a levá-la consigo, pois assim tinham previamente combinado as escondidas. Segundo ele, estava mesmo disposto a tudo, não tinha mais como desistir de ficarem juntos, seja o que for que acontecesse...Então, de repente, ele viu chegar uma Kombi -daquelas primeiras que apareceram- cantando pneus e parando perto dele no jardim. A porta se abriu e começou a despejar na praça uma pequena multidão de japoneses de todas as idades e tamanhos, com todo o ar de quem está pronto para a briga, vindo na sua direção!
Ele ria enquanto nos descrevia a cena, dizendo:-
-O que eu podia fazer? Já tinha chegado até ali, me preparei para apanhar, mas também não ia deixar barato!
Aí a turma toda me cercou, todo mundo falando e gritando ao mesmo tempo, num português misturado com japonês, até que o chefe da família ordenou silencio e começou a conversar comigo do seu jeito meio atrapalhado. Eu, meio sem entender, fui ouvindo, concordando, até que chegamos num acordo. Tempos depois, fui buscar a moça e nos casamos, tivemos filhos e um deles até foi trabalhar no Japão durante algum tempo... Mas, antes dos filhos, aconteceu me aconteceu coisa pior...
- O que foi, seo José?- perguntamos ansiosos...
Pois é, logo que casamos, ainda em tempo de lua de mel,fui consertar o telhado e caí lá de cima, fraturei a coluna e tive que ficar 30 dias de bruços, imóvel e esticado sobre duas cadeiras, para ter uma chance de me recuperar..
Eta gente de pensamento forte!

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Palestra no CLIP - Monteiro Lobato

Neste sábado, 27, a escritora Cecília Figueiredo vai falar sobre a vida e a obra de Monteiro Lobato às 15h na Biblioteca Municipal

quinta-feira, 25 de abril de 2013

EMOÇÕES



Helena Curiacos Nallin

O meu interior é uma casa
Com muitas portas fechadas
Só se abrem quando lá dentro
Batem fortes sentimentos.

Nesta casa tem um quarto
Com muitas jóias guardadas
E para abri-lo nem penso
Só uso o meu sentimento.

O maior dos sentimentos
É o amor que já temos
Quando ele se revela
Explodimos de emoção

 As jóias quando tiradas
Devem ser bem usadas
Com muita sabedoria
Para nos dar só alegrias

Não devemos ter lá dentro
Negativos sentimentos
Para não aflorar emoções
Que nos tragam arrependimento
Um dia ouvi de meu pai
Quando tinha pouca idade
“só o que tens dentro de ti
Dar-te-á  felicidade”.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Poesia ao Vento no SESC teve como convidado Armando Alexandre dos Santos


Leda Coletti, Cassio e Ivana Negri, Armando Alexandre dos Santos, João Athayde, Madalena Tricânico, Carmen Pilotto, Silvia Oliveira e Irineu Volpato
Uma divertida exposição no SESC sendo bastante apreciada pelos escritores presentes.
Momentos de descontração antes da palestra ministrada pelo acadêmico Armando Alexandre dos Santos sobre  a vida e a obra de Brasílio Machado
 Carmen e Ivana
Silvia e Irineu
Armando Alexandre
Carmencita
Cassio Negri se divertindo
Carmen e seu novo amigo
Athayde também curtindo fiscalizado por Irineu
Leda Coletti e o garoto das flores
Vista geral da exposição "BOTEQUIM" que vale a pena ser visitada
Carmen e Cassio


sábado, 20 de abril de 2013

DAS AREIAS PALMILHADAS NA INFÂNCIA INVASIVOS HABITANTES DE NOSSOS CALÇADOS DE ADULTOS



Carmen M.S.F.Pilotto

Nas ondas banhadas pela lua ternas recordações
de um mar enfurecido vomitando milhões de conchas
mantos dos moluscos que já partiram adultos
descartes imaculados que se confundem à areia
como fóssil reverberado pelo oceano febril

incrustadas nas saliências provocadas pelas marés
invasivas pegadas infantis surrupiam as carcaças
no ir e vir das espumas vultuosas

um micro-apocalipse que desperta a inércia dos banhistas
lavando a alma da escassez de emoções da rotina
camadas e camadas do precioso nácar cristalizadas
onde os bicos das gaivotas não conseguem degustar

Netuno espreita com seu tridente o ocaso do planeta
do Homo sapiens que destrói seu próprio mundo
e rouba a concha  que apoiada no tajer da sala
seca de vida perdeu o brilho do nácar
como enfeite estático  de energia roubada
sem  o lindo som  dos ecos do oceano...

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Premiação




A poesia Luz na Alma de Lídia Sendin ganhou primeiro lugar no Concurso Nacional do CNEC (Campanha  Nacional de  Escolas da  Comunidade) Unidade de Capivari, na Categoria Sênior. 
A poesia Corpo Água ganhou prêmio de Edição no mesmo Concurso e foram publicadas numa coletânea.

Lidia Sendin

Eu vi o sol raiar, parece incrível,
Em noite de tormenta e raios mil,
É fato que ninguém acha possível,
É coisa de pessoa já senil.

Tomada do pavor do impossível,
Senti o estremecer da alma febril,
Pois sol em noite negra não é plausível,
Assim como o verão no mês de abril.

Só mesmo procurando achar a calma
Na brisa que refresca após a chuva,
Que encontro no horizonte a clara cor.

E a descoberta é feita mais na alma,
Que vibra quando o ódio ela derruba
E brilha em nós o bem que faz o amor.



CORPO ÁGUA 
Lídia Sendin

Como é bom ser água, ser adaptável
A qualquer caminho.
Elemento instável,
Vai comendo a pedra
Abrindo veredas, procurando um ninho,
Penetrando rochas, encontrando um veio,
Ser da vida a seiva.
Ser dura de gelo, ser leve no céu.
Ser o mar na terra.
Ser bruma e véu.
E após o ciclo santo
Voltar ao natural,
Ao seu primeiro encanto,
Ser sempre eu mesma,
Ser de novo igual.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Lançamento do livro infantil em Braille das autoras Carmen, Ivana, Leda e Maria Emília

TV USP
Carmen, Leda e Ivana

Carmen, Leda e Ivana entre Maria Fernanda e Maria Carolina Redi, filhas da Maria Emília
Professora de literatura Terezinha Malta,  que perdeu a visão aos 3 anos de idade, falando sobre o método Braille

Carmen, Carmelina, Idamis, Leda, Ana Marly, Lurdinha, Maria Lucia e Aurea


Maestrina Cíntia Pinotti regente do Coral Vozes da ESALQ
A fala eloquente da professora  de literatura Terezinha Malta que perdeu a visão aos três anos de idade
Acadêmico João Sucupira, idealizador do Caminho Sensorial

Ivana Negri e Branca Cervellini

Newman Simões prestigiando o evento
Mudas de plantas aromáticas distribuídas aos presentes
Ivan Rizzi e Mariana Negri, dois personagens reais das historinhas do livro

Origami de Dorinha Vitti Kennedy

Silvia Oliveira, Irineu Volpato e Lurdinha Piedade Sodero Martins
Caminho Sensorial
Entrevista à TV USP


Salto do rio e peixinhos de origami











Os livros em Braille

Mudas de ervas aromáticas distribuídas aos presentes
Ivan e Mariana, personagens do livro







Maura, Cecília e Suely

Dorinha Vitti Kennedy e Mariana
Dorinha Vitti Kennedy

João Sucupira orientando as meninas no Jardim Sensorial

JORNAL DA ESALQ