As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Vida digital




Nathalia Prado – aluna do DBA, aulas de redação – profª Christina A. Negro Silva

As redes sociais entraram definitivamente no dia-a-dia das pessoas, seja por diversão, amizade ou motivos profissionais. O certo mesmo é que a internet trouxe o mundo para dentro de nossas casas.
Hoje em dia, é fácil criar relações de afinidade, fazer novas amizades, compartilhar sentimentos, pertencer a grupos e dividir intimidade com estranhos. Através dessas tecnologias, tudo é mais fácil. Nesses termos a própria palavra “intimidade” perde sentido.
Essa maneira rápida de se comunicar que a internet proporciona aproxima quem está longe, assim como pode distanciar quem está perto. Ou seja, além de unir pessoas e criar laços, também pode servir de palco para confusões, fofocas, intrigas, desfazer namoros e até casamentos. Tudo depende do uso que dela se faz.
Pois bem, infelizmente, hoje percebe-se a exagerada exposição virtual de algumas pessoas. O que anda acontecendo?... de repente, certas pessoas acham natural indicar passos de suas vidas e suas localizações 24h por dia! Parece que o fato de não ficarem olho no olho faz com que ignorem os perigos e acabem publicando informações demais. Não dá para entender. De que adianta erguer muros altos em volta da casa, cercar-se de alarmes e dispositivos de segurança e deixar o livre acesso à vida pessoal através dos meios virtuais? Sobram informações sobre rotina diária, compras e até, por vezes, fotos íntimas. Qualquer um pode acessar tais informações. Ninguém anda pela rua distribuindo abertamente cartões, telefones e endereços a desconhecidos. Então por que divulgar  tudo sobre sua vida na internet? Existem histórias de pessoas que sofreram ameaças de sequestro que podem ter vindo de qualquer lugar do mundo. Ou seja, tanto no mundo virtual, como no real, é necessário preservar a própria privacidade. Afinal, o  virtual faz parte do mundo real. Não é um “universo paralelo”.
Não saber os limites da nossa exposição nas redes virtuais pode nos custar caro e colocar em risco a integridade da nossa imagem frente à sociedade. A  partir do momento em que colocamos informações na rede, foge do nosso controle a consequência das dimensões de até onde elas podem chegar. Sendo assim, apresentar informações pessoais em  redes pode nos tornar muito mais vulneráveis. Temos que tomar consciência das nossas atitudes, das nossas opiniões publicadas nos meios  digitais, o que requer cuidado e bom senso para que nem a nossa imagem e nem a do outro possam ser prejudicadas.



Nenhum comentário: