As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

PATRIMÔNIO ABANDONADO


Fotos de CHICOPQD

Ludovico da Silva

A parede da frente para a rua ostenta duas placas ilustrativas, que está mais para deteriorada do que luzimento. Uma de material ferroso, sem brilho porque falta tratamento, e outra modesta, sem qualquer expressão artística, valendo apenas como registro do pouco que tem sido feito através dos tempos, com palavras repetitivas em relação à primeira. A madeira, da porta de entrada e dos batentes, está toda desgastada, mostrando que há tempos dela não se cuida, ao menos com raspagem da parte deteriorada e demão de tinta. Trata-se de um patrimônio completamente abandonado e é triste verificar que está nesse estado, não merecendo nenhuma atenção de quem quer que seja. Nem ao menos se respeita o nome do autor da obra. Ademais, infere-se que seu interior guarda peças de arte sacra de valor histórico.
Estou me referindo ao Passo do Senhor do Horto, um pequeno e modesto prédio espremido entre outros, localizado ali na Rua Prudente de Moraes, entre a Praça José Bonifácio e a Rua Governador Pedro de Toledo, cuja construção remonta o Século 19. Só não desaba porque escorado pelas paredes laterais, que servem de escudo. A capela está inserida como um dos pontos turísticos de Piracicaba. Mas o que o piracicabano ou o visitante vai admirar na capela se ela está sempre fechada? Não chega o que o Senhor sofreu quando de sua pregação na terra e hoje O mantém encarcerado. Se ao menos uma fresta de luz iluminasse sua imagem. Se a capela ficasse aberta uma vez por mês para visita e orações ainda se justificaria como ponto turístico.
Observe o leitor o que as placas registram: uma, "Passo do Senhor do Horto. Obra de Miguel Araújo Benício de Assunção Dutra. Inaugurado no Domingo de Ramos, em 1873. Tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo, em 1973. Restaurado pelo Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba e Ação Cultural do Município. Domingo de Ramos - 19-3-1978." Outra, "Passo do Senhor do Horto. Patrimônio Histórico Cultural de Piracicaba e Estado de São Paulo. Inaugurado em 1893. Tombado pelo CODEPAC, por meio do Decreto n. 10.999, de 29 de dezembro de 2004. Tombado pelo CONDEPHAAT, por meio da inscrição n. 121, Resolução de 11-4-1972, D.O.E. de 12-4-1972." Há divergência entre as duas placas no registro da inauguração, uma, 1873 e outra, 1893.
No dia em que anotei os dados acima alguém deve ter passado por lá, manifestado seus sentimentos em orações e depositando uma flor no aro do cadeado. Flor que estava sem vida, murcha.
Cabe aqui uma observação sobre patrimônios públicos, uma vez tombados. Parece que quando nessa situação não é preciso fazer mais nada, isto é, mantê-los com reparos frequentes, em boas condições, evitando-se a deterioração por conta do rigor do tempo. Quem não se lembra do prédio situado à Rua Prudente de Moraes, onde em passado remoto foi importante centro bancário, posteriormente transformado em empresa comercial, sede de jornal e, no momento, filial de rede bancária? Pois bem, esse prédio por muito tempo ficou apenas com a fachada, com risco de desabamento. Um fantasma em pleno centro da cidade.
Este texto não tem o objetivo criticar autoridades que devessem cuidar da capela do Passo do Senhor do Horto, pois não é esse meu intento, tampouco ferir suscetibilidades, mas como lembrança das condições em que se encontra e que deveria merecer atenção. Então, fica aqui o registro.

(Texto publicado no Jornal de Piracicaba)

Nenhum comentário: