As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

terça-feira, 12 de julho de 2011

Gerações



Pedro Israel Novaes de Almeida

O incremento das comunicações e a longevidade humana tornaram mais intenso o convívio entre diferentes gerações.
Não é fácil a coexistência entre pessoas criadas e formadas em ambientes de costumes e valores tão diferenciados, com idades que chegam à diferença de oitenta anos.
Um pai, nascido nos anos cinquenta, fica inconsolável quando a filha telefona, avisando que vai pernoitar na casa do namorado, cujos pais viajaram. Se o telefonema fosse do filho, ficaria orgulhoso.
Os de média ou adiantada idade sentem calafrios perante piercings, e têm a incômoda sensação de marginalidade, perante qualquer tatuagem. Civilizadamente, não manifestam qualquer estranheza, só comentada no ambiente familiar.
Aos idosos é estranho o fato de pessoas passarem horas e horas perante o computador, conversando à distância ou por códigos indecifráveis. Também lhes parece estranho o silêncio familiar, durante as novelas ou noticiários da TV.
Os idosos, que passaram a infância e juventude jantando, sentem saudades das sopas, agora substituídas por lanches. Também estranham as praças, hoje meros atalhos, sem crianças, rodas de conversa e coreto.
Aos jovens, a vida de antigamente mais parecia uma aventura, sem qualquer protetor solar, alimentos sem data de validade e tênis sem solados especiais. A TV era um festival de chuviscos e chiados, e o rádio repercutia raios e trovões.
A inovação que os veteranos aplaudem é a emancipação feminina, embora não vejam com bons olhos o marido cozinhando e lavando roupas, enquanto a mulher provê o orçamento familiar.
Os idosos parecem acreditar na enganosa sensação de que suas gerações liam mais, e haviam mais poetas e literatos. Na verdade, as novas gerações são mais informadas e cultas, e, em outro estilo, igualmente românticas.
Pouco mudou, ao longo dos anos, o desinteresse pela política e a aversão aos políticos. Gerações intermediárias, hoje na faixa dos 50 aos 70 anos, experimentaram momentos de grandes manifestações populares, quando das lutas pela liberdade de expressão e democracia.
As novas gerações contam com as redes sociais, que rompem quaisquer barreiras geográficas ou políticas, eliminando censuras e criando um poder que ultrapassa mídias e governos, movendo massas e distribuindo idéias. As gerações anteriores padeciam de comunicações lentas, truncadas, e, não raro, pouco ilustradas.
As inovações tecnológicas não geram conflitos entre gerações. Os pontos de discórdia, que dificultam o entendimento, resultam de desrespeitos a valores culturais e morais, que resistem ao passar do tempo e aos progressos sociais materiais.
As gerações de outrora não conseguem conviver com o avanço das drogas, a banalização do sexo, a violência que restringe a liberdade de ir e vir, a superficialidade dos relacionamentos, a selvageria das concorrências e a supremacia das minorias. Estão certas.

Nenhum comentário: