As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

quinta-feira, 17 de junho de 2010

O príncipe-gato (in Tardes de Prosa)


O PRÍNCIPE-GATO
Dirce Ramos de Lima

Comparar homens bonitos com gatos é uma discrepância sem limites: os gatos são muitos mais lindos, dedicados , carinhosos e..melhor companhia!
Certo é que existem gatos e gatos. Tive um que chamamos de Mocorongo. O coitado era meio besta mesmo.Não parava em casa, não via obstáculos pra sair. Quando lhe batia a vontade de vadiar ninguém o segurava. Um monte de pessoas na calçada e lá ia ele correndo entre as pernas de estranhos.
Quantas vezes voltava esfolado, machucado, sem a gente saber o que lhe acontecera.Certa vez entrou na máquina de lavar roupa da vizinha, num buraco, por baixo.E, foi o maior sufoco pra fazê-lo sair...
Era preto, pretinho de olhos verdes. Gordo igual o Garfield. Guloso, comia de tudo,macarrão, frango, ração.Tinha um miado especial , tão bonito! E, como todo felino que se preza, sabia quando e como ganhar toda atenção e carinho que merecia.Só tinha o defeito de ir e vir e tanto foi que de repente não veio mais.Que Deus o tenha como bom companheiro!
O gato que vive comigo agora é diferente. Um príncipe! O que marcava o outro como vagabundo, sobra neste em nobreza.Jamais andou pelas calçadas: nem de casa sai.Quando muito arrisca um olhar superior sobre os transeuntes .
Passem, passem, desfilem e sigam seus caminhos.Do terraço ou da sacada da janela, tudo vê e tudo sabe.Depois arrisca um bocejo, volta pra sala,calado, vagaroso deita-se no sofá e dorme tranquilo.
Não lhe falta educação e higiene.Comer? Só ração e olhe lá, se não lhe apetece, enjeita.Sabe muito bem do que gosta, Toda vez que pára e me olha
interrogativamente, já entendo: alguma coisa de anormal está acontecendo.
Brinca muito! Caçador, pega baratas , lagartixas e até insetos voadores. È bonito vê-lo saltar e caçar mosquitos em pleno voo. Necessidades só faz na caixa de areia.A não ser, é claro,que eu o esqueça e distraidamente o abandone por algum tempo.Dai é capaz até de fazer xixi no meu colo e então a mocoronga sou eu.
Percebe qualquer novidade na casa e dá logo sua opinião; eu sou mais importante! Foi assim que quase sofreu uma cirurgia desnecessária. Não é que ao invés de urinar em qualquer lugar, negou-se.Quero dizer: ameaçava, me olhava, olhava, ameaçava , ia, voltava e nada.
Comecei a me preocupar. Estranhei também que ele não miava diferente, nada. Só ameaçava fazer e não fazia.Consultei o veterinário, por telefone, que , mesmo sem vê-lo, diagnosticou. E combinamos vir buscar o gato pra colocar uma sondinha no pipizinho dele. Ai! Que horror! Mas, se for necessário...( não foi! Era só charminho novo: ciúmes do computador...)
Apiedei-me. Tão pequeninho, tão delicado. Logo ele que nem suporta a aproximação de homens!E o coraçãozinho, então! Dá pra senti-lo aos saltos quando ouve os malditos rojões. Esconde-se onde pode, e muitas vezes, no meu colo. Se a campainha tocar e for homem ele se afasta e se esconde como se dissesse: nada a declarar!
Bom , se chegar um homem e ele não se retirar é porque o homem não é homem de verdade. Só engana!Dizem que ele fareja o tal de hormônio masculino...
Se chegam mulheres ele faz a corte: vai se aproximando devagar, miando baixinho, olhando , conquistando.
Já tem oito anos e é puro. Tenho certeza. Nunca foi á rua, nunca teve onde procurar gatas, nunca sai de casa, nunca namorou. Pensei, muitas vezes, em lhe arrumar uma companheira.Tive medo de perdê-lo. Ele pode passar a me odiar por encará-lo como um gato comum e castigar-me, sei lá como( desconheço todos seus trunfos!).
Bem, terminadas as devidas apresentações, entendam agora o fato acontecido.
Por sua própria culpa e vontade, geralmente levanto-me de madrugada. Ele prefere o ar puro da manhã para suas pesquisas exteriores. E logo cedinho começa o desfile da plebe ( o povo vai trabalhar...)
Molho as plantas( gerânios, samambaias...) e deixo o príncipe divertir-se.Muitas vezes me pedem mudas daquilo que nem mesmo sei cultivar.Só planto e deixo a natureza agir. Algumas crescem tanto e ficam tão lindas que me surpreendem...Graças á Deus !
Mas, qual não foi minha maior surpresa quando uma senhora que por aqui passa diariamente fez o pedido mais estranho que poderia imaginar!
Ela quer um filhote do meu precioso gato!
Impossível! Jamais conseguiria! Ele é único, original, sem descendentes! Seu reinado termina aqui . Não há, nunca houve nem haverá filhotes!
Cobicem, invejem e se contenham. Alegrem-se comigo ao vê-lo de manhãzinha exibindo-se e miando suavemente pelas sacadas das janelas.Educado, mágico, misterioso, nobre: "ele, só ele: é o príncipe dos gatos!"

Um comentário:

Anônimo disse...

Que gatinho mais fofo e dengoso!
Pelo jeito, principe, amigo e ótimo companheiro!
Tive um, mas era o terror do pedaço!
Quando voltava estava sempre ofegante e arranhado. Buscava abrigo e...remédios!