As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Da Paixão e seus Caprichos



DA PAIXÃO E SEUS CAPRICHOS...
Maria Cecília Graner Fessel

Na nobreza medieval nem sempre os noivos iam espontaneamente ao encontro do escolhido para eles. Muitas vezes havia relutância, indecisões, recusa em adentrar no casamento. Também havia conselhos e cumplicidade de mães e damas de companhia, tentando combinar as paixões da juventude com as necessidades do estado.
Recentemente essa situação repetiu-se e vem causando grande comoção popular, envolvendo diferentes reinos do mundo, príncipes e princesas, engessados em tratados e regras muito antigas.
Aconteceu de uma princesa, enviada de um poderoso reino, apaixonar-se pelo valoroso príncipe a quem era destinada, sem ser, no entanto, correspondida. Tentando conquistá-lo, procurava encontrar-se com ele, mas era logo cercada por seus lacaios, afirmando que o protocolo não permitia sua entrada e que ela não devia aproximar-se dele. As damas da princesa, nervosas com a ansiedade da noiva e a recusa do noivo em acolhê-la, resolveram então armar uma estratégia para ajudá-los a se encontrar. Colocaram-se nas portas do palácio do príncipe e lá ficavam distraindo os lacaios, seduzindo-os com seus truques, chamando-os para cá e para lá para que eles não percebessem as tentativas de aproximação da princesa.
Levou tempo, e muitas vezes alguns guardas, exasperados com o insistente assédio das damas ali postadas, chegaram a usar de força para impedir a entrada da princesa, o que gerou protestos e grande tensão entre os reinos.
Mas, como o amor verdadeiro não desiste, e a vida tem seus caprichos, num certo momento a princesa pegou os guardas distraídos, correu em zigzag entre suas damas, e finalmente invadiu o palácio de seu amado, com tanta paixão e firmeza de propósitos, que ele enfim acolheu-a nos braços, para delírio dos que torciam pela princesa.
E foi assim que a Princesa Jabulani, mil vezes rejeitada, mil vezes desviada pelas traves caprichosas e pelos defensores do príncipe, protegida e empurrada por suas fiéis damas de companhia, adentrou o espaço do reino adversário e tomou posse do coração de seu amado, aplaudida por seus súditos aos gritos vitoriosos de GOL! GOL! GOL!

Nenhum comentário: