As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

quinta-feira, 25 de março de 2010

BELA MULHER - Cassio Camilo Almeida de Negri

Bela mulher
Cassio Camilo Almeida de Negri


Desde que nascera, fora uma criança linda, que despertava a admiração de todos.
Na adolescência, era a mais bela da escola, todos os garotos a paqueravam e até foi escolhida rainha da beleza no concurso escolar.
Daí em diante foi só seguir o caminho que a beleza lhe abria, miss cidade, miss estado, miss Brasil e então o estreito caminho do sucesso midiático escancarou-lhe a porta.
Foi artista de televisão, cinema e chegou a Hollywood.
Teve mil amores, homens ricos, belos, jovens, maduros, todos aos seus pés fazendo seus caprichos.
O tempo passou e um fio de cabelo branco surgiu-lhe na têmpora, foi fácil arrancá-lo. Quando se espalharam como erva daninha, coloriu-os.
A primeira ruga no canto dos olhos, massageou-a com cremes caros e quando se transformou em pés de galinha, encheu-a com botox, quando foi virar todo um galinheiro, recorreu a cirurgia plástica.
Os seios caíram, mas o silicone os içaram e endureceram.
Tal substancia milagrosa também arrebitou suas nádegas e engrossou-lhe os lábios.
O tempo, no entanto, mesmo mais lentamente acabou conseguindo o que queria.
O desespero de se ver velha e feia, levou-a ao suicídio.
Agora, passava dias e noites sem parar, observando aquele esqueleto no caixão, com duas próteses de silicone em cima das costelas branco amarelentas, outras duas maiores nas regiões posteriores aos ossos ilíacos,correspondentes as nádegas e outras duas nos maxilares, como lábios gelatinosos da caveira que ali estava.
Chorava desesperada, sem parar, sem nada poder fazer, se lamentando:
-Maldito Deus, veja a que me reduziu!
Anos e anos passou nesse sofrimento, até que um dia um anjo que por ali passava, perguntou-lhe:
- Quem és tu mulher? Quem és tu, realmente, o observador ou o observado?
Foi quando ela percebeu que quem observava tudo aquilo era uma linda mulher, no auge de sua beleza, seu próprio espírito.
Assim ela descobriu sua verdadeira beleza.

2 comentários:

Anne Lieri disse...

Lindo e triste conto!Na verdade,existem pessoas que não aceitam a velhice e acabam mesmo tirando a própria vida!Bjs,

Ivana Marisa Altafin disse...

Acredito o quanto foi díficil para uma mulher linda como ela; atriz, figura pública, famosa no mundo inteiro por sua beleza, envelhecer, díficil julgar!!!A cidade de Búzios no Estado do Rio de Janeiro se tornou famosa e reduto de artistas por causa de Brigite Bardot. Lindo esse texto, ótimo para refletirmos, parabéns Cássio.