As reuniões do Grupo Oficina Literária de Piracicaba são realizadas sempre na primeira quarta-feira do mês, na Biblioteca Municipal das 19h30 às 21h30

SEGUIDORES

MEMBROS DO GOLP

MEMBROS DO GOLP
FOTO DE ALGUNS MEMBROS DO GOLP

domingo, 27 de setembro de 2009

Clemência
Ruth Carvalho Lima de Assunção

Como de costume, bem na hora do café da manhã, leio o jornal e para minha surpresa encontro a nota de falecimento de Clemência. Pensamentos voaram para bem longe e fui recordando sua imagem e suas palavras de sabedoria que os anos e experiências lhe trouxeram.
Nossos mundos foram diferentes, quando crianças e quando jovens; vim a conhecer Clemência quando já, as duas formadas, e ela uma artista plástica em destaque, aqui em Piracicaba.
Mas agora, premida pelas circunstâncias desta perda inesperada, pelas imagens e figuras verbais associadas à artista, não me curvo à solicitação do silêncio, e deixo-me levar pelo sentimento de tristeza que se abateu em todos nós, seus amigos e admiradores.
Da velha Europa conturbada, em crise, partiram as negociações para contornar e solucionar os problemas que se arrastavam em penúrias e desgastes. E foi aí que encontraram o caminho – Brasil, um país novo, com imenso território à disposição, uma natureza exuberante e muita água correndo em mananciais, numa terra fértil e generosa.
E como fica a artista Clemência nesse embate? Nada a ver, tudo a ver?
E aqui entram os italianos que deixaram suas terras em busca de outros horizontes, com mais possibilidades de um crescimento social e financeiro. Estavam dispostos a lutar, a lutar e vencer.
E mais uma vitória se agrega - a menina Clemência, a virtuose, que Piracicaba ganhou de presente, a semente vinda da Itália, de além-mar, do fruto que virou estrela, que brilhará para sempre.
Perdemos a figura insubstituível de um expoente que no mundo das artes mostrou seu talento e habilidades inatas pelo belo, pelas formas e pelas cores. Seus trabalhos expostos no Mirante, no muro da “Saudade”, como também outros, aqui e lá fora falam por si da grande veiculadora das artes plásticas e de sua maestria com os pincéis.
No rememorar a professora da História das Artes, seu vasto conhecimento no âmbito da arquitetura artística, o olhar consciente da beleza e da poesia que existe em todas as coisas percebemos a lacuna que sua ausência nos deixou.
Amou a sua terra e externou sua admiração ao retratar o caminhar do rio, do nosso rio, que encanta e canta em nossos corações.
Pelo seu caminho soube conquistar o respeito e admiração pelo seu senso artístico e humano. Amigos fez às centenas, devido à sua ternura, sinceridade e carisma.
Adeus. Você é e continua a habitar entre nós, junto à sua arte.
Ocupe amiga o seu lugar reservado aos eleitos, aos que passam e deixam um rastro de luz brilhando para a eternidade.

Nenhum comentário: